Como deixar o comodismo no relacionamento

As vezes os homens levam um relacionamento desgastado adiante, com medo de mudanças, o homem prefere ter estabilidade do que mudanças.

Muitas vezes, com medo de ficar só, mantemos relações já desgastadas, nas quais o prazer foi esquecido há muito tempo. Carregamos nas costas o peso do comodismo, fechando os olhos para novas oportunidades.

Quantas relações assim você mantém em sua vida, com medo do novo?

Falta de compreensão, de companheirismo, de diálogo, de respeito e de confiança são fatores que realmente podem acabar com um amor. Conforme o tempo passa, a sensação é de que tudo que já existiu está acabando. Como se os tons de uma tela perdessem as cores fortes, por acúmulo de poeira ou exposição ao sol. Pura falta de cuidado.

Você vive mesmo um relacionamento satisfatório ou ao avaliar o assunto de maneira sincera acaba pesando prós e contras que nada têm a ver com o amor? Existem situações comuns que indicam que o comodismo tomou conta da sua vida amorosa.

Como deixar o comodismo no relacionamento

Existe um grande número de casais em que os dois já não são mais realmente casados, estão separados física e emocionalmente, mas ainda precisam sentir que têm alguém ao lado, mesmo que não represente mais nada amorosamente. As pessoas sentem medo de ficar sozinhas e de experimentar o novo. E assim seguem cinco, dez, quinze anos vivendo em um mundo de ilusão, com medo de se apaixonar novamente.

Um outro sintoma significativo de que você vive uma relação cômoda é acreditar que ela deve se manter em nome do bem-estar dos filhos. Desculpas como “vou esperar que cresçam”, “depois que eles terminarem a faculdade eu me divorcio” e “meu filho está passando por uma fase difícil” são comuns, nesse caso. A questão é que não existe momento certo para que uma separação não provoque dor ou sofrimento na família. Só que arrastar um relacionamento também pode causar efeitos devastadores, pois as crianças, mesmo as pequenas, percebem o clima de desarmonia e infelicidade entre os pais.

Muita gente paga qualquer preço para satisfazer suas necessidades emocionais, mesmo que isso signifique viver de migalhas. São homens e mulheres que acabam se esquecendo de sua verdadeira identidade por pensarem que não encontrarão alguém que possa realmente gostar deles como são, com suas qualidades e defeitos. Por trás da carência há a baixa autoestima: a pessoa não consegue se valorizar e frequentemente se sente inferior ao parceiro, escondendo-se de si mesma e de seus reais desejos para manter uma relação imatura e sem perspectiva. “Ruim com ele(a), pior sem ele(a)” é a regra dessas pessoas.

Se você prefere sair com seus amigos sem a companhia do par, toma decisões sem consultá-lo e não faz planos a dois para o futuro? Sem compartilhar sonhos, metas ou mesmo ações diárias não existe uma união verdadeira. É claro que em um relacionamento sadio as pessoas não podem perder a sua individualidade, mas daí a pensar só em si mesmas existe uma grande diferença. Isso denota que o namoro ou casamento está em risco.

Quando mergulhamos nas nossas fraquezas, sempre acabamos por descobrir a intransigência,o orgulho, a prepotência e o próprio desgaste pessoal. Além de falta de amor próprio e a desonestidade consigo mesmo. Quando procuramos uma válvula de escape num outro relacionamento para preencher o vazio interno, na maior parte das vezes estamos com muita vontade de ter razão e pouca vontade de ser feliz.

Se um dos envolvidos realmente decide assumir suas próprias dificuldades e elimina o hábito de apontar o outro como a causa absoluta de seus desagrados, o amor tem grande chance de reviver.

A felicidade não mora no exterior, mas no seu interior. Todos dependemos unicamente de nós mesmos para nos satisfazermos. Depositar no outro esta responsabilidade é desonesto com você e com a outra pessoa também. Todo casal que decide se reconquistar acaba reencontrando e fortalecendo ainda mais o respeito, a admiração, a amizade e o amor.

O homem não gosta de ser o responsável pelo rompimento.

Em geral, quando a relação vai mal, é muito comum o homem criar armadilhas para que a mulher tome a iniciativa de terminar.

Quando os homens querem se afastar de um relacionamento, ele fica distante, economiza atenção e carinho, prioriza o trabalho e os programas com os amigos.

As mulheres se incomodam e buscam reverter a situação, querendo sempre melhorar ou terminar de vez.

As razões que normalmente impedem as pessoas de terminaram são o comodismo, medo, fuga, receio do julgamento, status e etc.

Próximo

Anterior

Deixe seu comentário

© 2009-2017 Intrometendo | Anuncie | Sobre | Política de Privacidade

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Alló Digital