NOM – Nova Ordem Mundial

A Nova Ordem Mundial – New World Order (NWO), se refere a um novo período no pensamento político e no equilíbrio mundial de poder, além de uma maior centralização deste poder. Como uma teoria de conspiração, o termo Nova Ordem Mundial refere-se ao surgimento de um governo mundial totalitário. O tema comum em teorias da conspiração sobre uma Nova Ordem Mundial é que uma elite secreta do poder possui uma agenda globalista e está conspirando para eventualmente governar o mundo por meio de um governo mundial autoritário, que irá substituir Estados-nações soberanos.

Digamos que tudo aquilo que sabes não seja apenas errado, mas uma mentira cuidadosamente engendrada. Digamos que sua mente esteja entupida de falsidades: sobre si mesmo, sobre a história, sobre o mundo à sua volta, plantada nela por forças poderosas visando conquistar, pacificamente, sua complacência. A liberdade, nessas circunstâncias, não passa de uma ilusão, pois és, na verdade, apenas um peão num grande enredo e o seu papel o de um crédulo indiferente. Isso, se tiveres sorte. Se, em qualquer tempo, convier aos interesses de terceiros, o seu papel vai mudar: sua vida será destruída, serás levado à fome e à miséria. Pode ser, até, que tenhas de morrer. Quanto a isso, não há nada que possa ser feito. Ah! Se acontecer de conseguir descobrir um fiapo da verdade até pode tentar alertar as pessoas, demolir, pela exposição, as bases dos que tramam nos bastidores. Mas, mesmo nesse caso, não terá muito mais a fazer. Eles são poderosos demais, invulneráveis demais, invisíveis demais, espertos demais. Da mesma forma que aconteceu com outros, antes de ti, também vai perder!

Se você dúvida da Nova Ordem Mundial, pegue uma nota de 1 dólar americano e veja o simbolo da pirâmide com o “olho que tudo vê” o Olho de Hórus, um simbolo iluminista. E abaixo da pirâmide podemos ler “Novus Ordo Seclorum”, Nova Ordem dos Séculos, a Nova Ordem Mundial.

Nova Ordem Mundial, ou os Illuminati, são um grupo que vem manipulando eventos mundiais há centenas de anos. Muitos céticos duvidam dessa teoria afirmando que a Nova Ordem Mundial não seria possível devido aos governos dos países possuírem seus próprios interesses egoístas e jamais teriam coerência na formação de um grupo único para controle das nações. Com a fundação da Organização das Nações Unidas (ONU) e da União Europeia (UE) ter se unificado para fortalecer sua moeda única, o  euro (€), a teoria se torna um pouco mais real e palpável.

A Nova Ordem Mundial ou Nova Ordem dos Séculos (Novus Ordo Seclorum em latim) é um plano desenhado pelo maçom-judeu Adam Weishaupt, fundador dos Illuminati, cujo propósito seria derrotar aos governos e reinos do mundo, além de erradicar a todas as religiões e crenças de todo o planeta, para assim unificar à humanidade controlada por um governo mundial, que estaria baseado em um sistema internacionalista extremamente uniformizador, e com uma moeda única e uma religião universal, no qual, segundo suas crenças, a cada pessoa alcançaria a perfeição.

O chamado “processo de globalização” iniciado a fins do século XX em todo o planeta, seria uma das múltiplas facetas do estabelecimento progressivo desta nova ordem.

Num contexto mais moderno, percebe-se muitas vezes esta referência ser feita a respeito das novas formas de controle tecnológico das populações, num mundo progressivamente globalizado, descrevendo assim um cenário que aponta para uma evolução no sentido da perda de liberdades e um maior controle por entidades distantes, com o quebramento da autonomia de países, grupos menores em geral, e indivíduos.

O tipo de propaganda negra é uma das armas psicológicas mais fortes empregadas pelos idealizadores da Nova Ordem Mundial . A propaganda negra é a exploração deliberada e difusão de interpretações de verdades, meias-verdades ou mentiras, em particular, informações incorretas, histórias de terror ou histórias de horror. Ela tem um caráter criminal, malicioso porque visa desestabilizar os adversários escolhidos por todos os meios disponíveis e possíveis, nomeadamente através de produções da mídia para perturbar, confundir, degradar ou manipular as pessoas. Esse tipo de propaganda, visa criar um povo submisso e “politicamente correto“, facilmente enganável, manipulável e idiotizado.

A peça fundamental do quebra-cabeça da Nova Ordem Mundial é a identidade do Anticristo ou  Anti-Messias, a figura tirânica que irá presidir a Nova Ordem Mundial. A ideia de uma “Nova Ordem Mundial” tem o potencial para mover a política global em sentidos profundamente negativos. Desde a Segunda Guerra Mundial, tem se falado no Armagedom, que viria através do armamento nuclear, dando assim a inevitabilidade bíblica às perspectivas de aniquilação do mundo.

Nova Ordem Mundial

A Nova Ordem Mundial é um conjunto de iniciativas que visam à implantação de um governo mundial estruturado em camadas, mas centralizado em uma entidade global – talvez a ONU, talvez uma que venha a ser criada.

Deste centro sairão organizações específicas com ramificações em todos os países. Boa parte desta estrutura já existe, está distribuída entre os milhares de organismos estatais nacionais e internacionais e pelas organizações não-governamentais reunidas sob o guarda-chuva da ONU, diversas outras estão sendo criadas sem a participação de parlamentos e governos locais, às vezes com o completo desconhecimento destes.

Para o sucesso desta nova ordem que está sendo implantada é importante que toda uma nova realidade seja criada para que não surjam incoerências culturais entre a população e a nova forma de controle social. Para que a cultura não seja um empecilho, é necessário modificar todos os hábitos e costumes enraizados na sociedade. Como este não é um plano novo, é possível encontrar iniciativas no sentido de destruir valores ocidentais há mais de um século. a concentração destes ataques, no entanto, tem acelerado a cada década.

Nos anos de 1920, muitas das ideias atualmente implantadas já estavam nas conversas reservadas de aristocratas europeus convencidos de que tinham uma solução para o mundo. Aldous Huxley, participante de algumas dessas reuniões, percebeu não apenas como seriam implantadas, mas as suas consequências nefastas e as deixou gravadas em seu livro chamado de “Admirável mundo novo”. Outros confiantes nos planos nascentes, os chamados “Socialistas Fabianos”, já planejavam aspectos e detalhavam o seu utópico funcionamento em seus livros, como fez o escritor H.G. Wells. Mais tarde, George Orwell foi outro inglês que percebeu a aracapuca que estavam armando para o povo no futuro e escreveu o seu famoso livro “1984” e outros.

A Nova Ordem Mundial será uma ditadura global totalitária, socialista, culturalmente coletivista, com valores próprios e completamente diferentes dos valores praticados atualmente pela maioria da população. Está Nova Ordem estará ancorada num sistema financeiro internacional sem lastro algum, em regras totalitárias supostamente cientificas, com todas as atitudes humanas controladas pelo Estado, este controlado por uma elite política, e acima desta um grupo de pessoas ricas que controlam todas as corporações e o sistema financeiro, além da mídia. A corda que controla e guia os bonecos de marionetes.

Por controlarem os bancos, controlam também os investimentos, o crédito, o valor das mercadorias, serviços, financiando os partidos que fingem concorrer pelo controle e poder do Estado, fazendo a famosa Estratégia das Tesouras, controlando as políticas de Direita e da Esquerda de um país. Além disso, controlam suas fundações, institutos e as universidades que irão influenciar a opinião pública, publicando artigos científicos, incentivando movimentos e campanhas, controlando também uma mídia homogênea promovendo hábitos e revolucionando valores no mesmo ritmo que seus conglomerados privados que irão engolir a concorrência por usufruírem de sua promíscua relação com o Estado. Criando um ciclo perfeito de Ditadura eterna.

A única diferença desta Ditadura global, das antecessoras, além da dimensão, serão algumas características do socialismo fabiano, como a presença de um capitalismo semi-privado oficial, diferente do mercado negro soviético e mais próximo da China atual. Será uma Ditadura totalitária comunista controlada por banqueiros.

A partir de instalada, a nova ditadura vai eliminar toda e qualquer oposição verdadeira e só permitirá desvios dentro de ideias pré-estabelecidas.

“É nossa política fomentar guerras, mas sempre dirigindo a Conferência de Paz, de modo que nenhuma das partes do conflito possam ter ganhos territoriais. As guerras devem ser dirigidas de tal maneira que as Nações envolvidas em ambos os lados, sempre acabem se afundando mais em sua dívida e, portanto, cada vez mais sob o nosso poder .” – Mayer Amschel Rothschild

Executando ideias de controlar todos os lados de um conflito, sendo essa a única forma de controlar um conflito, como declarou o próprio Lord Amshel Mayer Rochschild, um dos proeminentes idealizados deste projeto da Nova Ordem Mundial.

A ideia de um governo mundial é muito antiga. Praticamente todos os grandes tiranos desde Sargão da Acádia (século XXIII a.C.) pensaram nesta hipótese. Com a chegada da modernidade e dos “iluminados iluministas” o que era ideia se tornou um plano muito bem arquitetado, que vem sendo implantado antes mesmo do início do século XX. Não é preciso ser muito esperto para perceber que o plano tem obtido um sucesso espetacular, principalmente nas últimas décadas.

As evidências são muitas, as fontes estão à disposição, mas por ignorância ou interesse nem sempre declarado, acadêmicos e jornalistas preferem fugir das suas responsabilidades e acusar de teórico da conspiração todo aquele que demonstra o real estado das coisas.

A situação atual é bem complexa, e como a grande imprensa ignora todos aspectos desta marcha rumo ao totalitarismo mundial, entender o que está acontecendo requer um pouco de cuidado, principalmente para separar o joio do trigo. Como estamos falando de um plano que vem sendo estruturado há muitas décadas e que se apresenta em diversas frentes, muitas vezes inconciliáveis e aparentemente contraditórias, fica difícil abarcar todas as informações e elencar as suas possíveis relações.

Entrando de fato no assunto, e resumindo bastante esta primeira abordagem, existem hoje ao menos três tentativas de dominação global concorrendo simultaneamente, e todas elas têm um objetivo comum: destruir a civilização ocidental para, em seguida, implantar uma ditadura planetária sem precedentes. A dificuldade de uma compreensão mais profunda acontece porque as três estratégias muitas vezes são contraditórias, mas um bom observador vai perceber que quando se trata de destruir os valores do Ocidente, elas são quase siamesas. As três estratégias de poder mundial que lutam pela Nova Ordem Mundial são: o Comunismo, o Islamismo e os Globalistas (Socialistas Fabianos).

Comunismo

Liderados pela Rússia e China, o velho comunismo está enraizando sua ideologia coletivista e destruindo a responsabilidade individual que estruturou a sociedade ocidental. Sob a nova alcunha de eurasianismo, os maníacos seguidores de Marx, Lenin, Stalin, Pol Pot, Chavez, Fidel e Mao Tse Tung tentam recontar a história deixando de lado os mais de 100 milhões de mortes que suas idéias assassinas já provocaram.

Insensíveis aos seus erros, continuam dispostos a tudo para estabelecer uma nova sociedade, um novo mundo, um novo homem, mesmo que para isso seja necessário exterminar ou silenciar todo aquele que se opor ao projeto, como bem ensinaram e praticaram seus líderes e mentores morais.

Islamismo

O Islã só estará completo quando o último homem da Terra for convertido. Sua força reside nas motivações que transcendem os desejos materialistas muito evidentes entre os outros dois concorrentes.

O crescimento do islamismo na Europa e nas Américas, aliado ao fortalecimento do poder das forças radicais como conseqüência da chamada “Primavera Árabe”, potencializa a corrosão dos valores ocidentais e aproxima o choque entre as duas civilizações.

Dentre as três forças, creio que o Islã, apesar de apresentar-se como a mais combatente e com maior consistência nas ações, está sendo manipulado e conduzido a um conflito com o Ocidente e com o cristianismo e o judaísmo, mesmo que esta guerra não ocorra nos termos de uma guerra religiosa.

A influência externa não anula ou isenta as motivações arraigadas na cultura islâmica recente, mas esta infiltração no Islã existe e ocorre principalmente pela crescente aceitação dos ideais eurasianos, e por meio do dinheiro que flui nas negociações tão comuns entre os líderes das nações muçulmanas e os magnatas ocidentais, que geralmente têm relações que vão muito além do petróleo.

Globalistas (Socialistas fabianos)

A face mais conhecida daquilo que chamamos de Nova Ordem Mundial pode ser identificada nos movimentos globalistas, financiados pelos grandes banqueiros internacionais, suas corporações, fundações bilionárias dedicadas aos “interesses sociais” e organizações políticas como a ONU, o Federal Reserve, a Comissão Trilateral, o Diálogo Interamericano, o CFR, o Clube Bilderberg, o Clube de Roma e muitas outras.

Este reduzido grupo de pessoas que controla as principais fontes de financiamento das campanhas eleitorais, simultaneamente espalha seu poder de influência social valendo-se das suas fundações, das universidades e da imprensa. Questões fundamentais para implantação da nova sociedade desejada por esses “iluminados”, como aborto, as cotas, ações afirmativas, controle da Internet, a extinção da família e dos valores tradicionais são patrocinadas e difundidas à exaustão, de forma a modificar o senso comum após algum tempo de metódica repetição. Como estes ideais também fazem parte do menu marxista, líderes socialistas, comunistas e tiranos de toda espécie são mantidos em seus cargos e quando enfrentam problemas internos contam com a ajuda política dos seus organismos internacionais e de uma imprensa amestrada.

Assim como os comunistas, líderes e ativistas islâmicos radicais espalhados por todo o planeta contam (ao menos por enquanto) com o dinheiro fácil dos banqueiros globalistas.

Cronologia da Nova Ordem Mundial

  • 01/05/1776 – Fundação da Ordem dos Illuminati
  • 04/07/1776 – Fundação dos Estados Unidos
  • 1782 – A Ordem dos Illuminati junta-se com a Maçonaria no Congresso de Wilhelmsbad.
  • 1796 – A Maçonaria torna-se uma questão importante na eleição do presidente dos Estados Unidos. John Adams (1735-1826) é eleito em oposição à Maçonaria e seu filho, John Quincy Adams (1767-1848), alerta para a ameaça terrível representada pelos trabalhos secretos das Lojas Maçônicas.
  • 1789-1799 – Revolução Francesa.
  • 1828 – Amschel Mayer Rothschild, que financiou os Illuminati, expressa o seu total desprezo para os governos nacionais que tentam regulamentar os banqueiros internacionais (como ele), dizendo: “Deixem que seja eu a emitir e controlar o dinheiro de uma nação, e não vou importar-me nada de quem escreve as leis.”
  • 1848 – O judeu Mordekkai Moisés Levy, conhecido como Karl Marx (1818-1883) escreve o Manifesto do Partido Comunista. Marx é um membro de uma organização criada pelos Illuminati, chamada a Liga dos Justos. Não só ele afirma a necessidade de mudanças econômica e políticas, mas também a urgente necessidade de mudanças morais e espirituais. Acredita que a família deve ser abolida e que todas as crianças devem ser educadas por uma autoridade central. Marx expressa a sua atitude em relação a Deus, dizendo: “Temos de lutar contra todas as ideias fundamentais da religião, o estado, o país e o patriotismo. A ideia de Deus é o ponto chave de uma civilização pervertida. Deve ser destruído.”
  • 22/1/1870 – Numa uma carta ao líder revolucionário italiano Giuseppe Mazzini (1805-1872) , Albert Pike (1809-1891) , Grande Comandante Supremo da Jurisdição Sul do Rito Escocês da Maçonaria dos Estados Unidos, anuncia a criação de uma sociedade secreta no interior de uma outra sociedade secreta: “Temos de criar um rito mais alto que permanecerá desconhecido, ao qual pertencem os maçônicos de alto grau que nós escolhemos. Perante os nossos irmãos na Maçonaria, esses homens devem comprometer-se a mais estrita confidencialidade. Por meio desse rito supremo iremos governar toda a Maçonaria, e se tornará o centro internacional, o mais poderoso, porque a direção será desconhecida. “
  • 1875 – A ocultista russa Helena von Hahn Rottenstern, aka Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891) funda a Sociedade Teosófica. Madame Blavatsky afirma que os homens sagrados tibetanos do Himalaia, que designa como os “Mestres de Sabedoria”, comunicam com ela em Londres por telepatia.
  • 1884 – A Fabian Society é fundada na Grã-Bretanha para promover o Socialismo. Esta sociedade é batizada com o nome do general romano Quintus Fabius Maximus (275-203 a.C.), dito “o procrastinador”, que lutou contra o exército de Aníbal (247-182 a.C.) com a tática de pequenas escaramuças que debilitaram lentamente o inimigo, em vez de enfrenta-lo numa batalha decisiva.
  • 28/10/1886 – Estátua da Liberdade começa a ser construída.
  • 14/07/1889 – Albert Pike publica as instruções para os vinte e três Conselhos Supremos do mundo. Ele revela qual é o verdadeiro objetivo maçônico: “Para vocês, Grande Instrutores Gerais Supremos, dizemos isto, que vocês podem repetir aos irmãos dos 32º, 31º e 30º Graus: a religião maçônica deve ser, por todos os iniciados aos graus mais elevados, mantida na pureza da doutrina luciferina.”
  • 1890-1896 – Cecil John Rhodes (1853-1902) , maçônico e estudante entusiasta de John Ruskin (1819-1900), é o primeiro-ministro da África do Sul, na época uma colônia britânica. Ele é capaz de explorar e controlar a riqueza da África do Sul feita de ouro e diamantes. Rhodes trabalha para que todas as áreas habitadas do mundo sejam trazida sob a liderança duma elite dominante. Para isso, utiliza parte de sua vasta riqueza para estabelecer as famosas Rhodes Scholarships (“Bolsas de Estudo Rhodes”).
  • 1893 – A Sociedade Teosófica patrocina um Parlamento Mundial das Religiões realizado em Chicago. O objetivo deste congresso inter-religioso, a primeira reunião ecuménica da história, é introduzir os conceitos do hinduísmo e do budismo no Ocidente, como no caso da crença na reencarnação.
  • 1911 – O Partido Socialista Inglês publica um panfleto intitulado Socialism and Religion (“Socialismo e Religião”), no qual explica claramente a posição do partido sobre o Cristianismo: “É , portanto, uma verdade profunda de que o Socialismo é o inimigo natural da religião. Um socialista-cristão é na verdade um anti-socialista. O Cristianismo é a antítese do Socialismo.”
  • 1912 – O coronel Edward Mandell House (1858-1938), um assessor do presidente Woodrow Wilson (1856-1924), publica Phillip Dru: Administrador, uma obra na qual promove o “Socialismo como sonhado por Karl Marx”.
  • 03/02/1913 – A 16 ª Emenda à Constituição dos Estados Unidos, que torna possível a imposição de um imposto progressivo sobre os rendimentos por parte do Governo Federal, é ratificada. O ponto no programa n º 2 do Manifesto do Partido Comunista insistia na necessidade de um imposto progressivo sobre os rendimentos.
  • 1913 – O Presidente Woodrow Wilson publica The New Freedom (“A Nova Liberdade”), um livro que revela o seguinte: “Desde que entrei na política, muitas pessoas confidenciar-me as suas ideias. Alguns dos maiores homens nos Estados Unidos, no campo do comércio e da indústria, estão com medo de alguém, estão com medo de alguma coisa. Eles sabem que há um poder, tão organizado, tão sutil, tão atento, tão interligado, tão completo, tão penetrante, que é melhor falar baixinho quando é para condená-lo.”
  • 23/12/1913 – A Federal Reserve é criada (na verdade não é nem federal, nem reserva, mas uma instituição privada). Tinha sido planeada durante uma reunião secreta realizada em 1910, em Jekyll Island, na Geórgia, por um grupo de banqueiros e políticos, incluindo o coronel Edward Mandell House. Este organismo transfere o poder de imprimir dinheiro do governo americano para um grupo privado de banqueiros. O Federal Reserve Act foi aprovado às pressas pouco antes do Natal. O congressista Charles A. Lindbergh, pai do famoso aviador, adverte: “Este decreto estabelece o monopólio mais gigantesco da Terra. Quando o Presidente assinar esse ato, o governo invisível do poder do dinheiro, cuja existência foi comprovada pela Money Trust Investigation, será legalizado.”
  • 1916 – Três anos após a aprovação da Federal Reserve, o Presidente Woodrow Wilson observa: “Eu sou o homem mais infeliz. Tenho revelado que terá arruinado o meu país. Uma grande nação industrial é controlada pelo seu sistema de crédito. Agora, o nosso sistema de crédito está concentrado. Portanto, o crescimento da nação e todas as nossas atividades estão nas mãos de alguns homens. Nós estamos a tornar-nos um país mal governado, totalmente controlado e dominado. Já não um governo em que há liberdade de opinião, não um governo liderado pela convicção e pelo voto da maioria, mas um governo controlada pela opinião e pelo cativeiro construído por um pequeno grupo de homens dominantes.”
  • 1917 – Graças à ajuda dos financeiros de New York e Londres, Vladimir Lenin (1870-1924) consegue derrubar o governo da Rússia. Mais tarde, Lenin afirma sobre a aparente contradição das ligações entre o grande capital e o Comunismo: “Existe também uma outra aliança, à primeira vista estranha e surpreendente, mas que é bem fundamentada e de fácil compreensão. Esta aliança é entre os nossos líderes comunistas e os vossos capitalistas.”
  • 30/05/1919 – Durante uma reunião convocada pelo coronel House, influentes personalidades britânicas e americanas fundam em Londres o Royal Institute of International Affairs (Instituto Real de Assuntos Internacionais) e o Institute of International Affairs (Instituto de Relações Internacionais) nos Estados Unido. Nesta reunião participam vários membros da Sociedade Fabiana, incluindo o famoso economista britânico John Maynard Keynes (1883-1946) .
  • 1920 – Winston Churchill (1874-1965) reconhece a ligação entre os Illuminati da Baviera e a Revolução Bolchevique na Rússia. Ele observa: “Este movimento entre os judeus não é nada novo. Desde os dias de Spartacus-Weishaupt aos de Karl Marx, Trotsky, Bela Kun, Rosa Luxemburg e Emma Goldman, essa conspiração mundial para a derrocada da civilização e para a reconstituição da sociedade sobre a base de um desenvolvimento mais lento, uma malevolência invejosa e uma igualdade impossível, tem vindo a avançar. Teve um papel totalmente reconhecível na tragédia da Revolução Francesa. Foi a força motriz de todo o movimento subversivo durante o século XIX, e agora, finalmente, esse grupo de personalidades extraordinárias que vêm do submundo das grandes cidades da Europa e dos Estados Unidos têm tomado para os cabelos os russos e tornaram-se praticamente os donos incontestáveis ​​desse enorme império.”
  • 1920-1931 – Louis T. McFadden (1876-1936) é presidente do House Committee on Banking and Curency (Comitê das Actividades Bancárias e Monetárias). Acerca da Federal Reserve, como membro do Congresso, afirma: “Quando o Federal Reserve Act foi aprovado, os americanos não perceberam que era o estabelecimento de um sistema bancário global. Uma espécie de super- Estado, controlado por banqueiros e industriais internacionais, agindo em conjunto para escravizar o mundo aos caprichos deles. Todo o esforço foi feito na Federal Reserve para esconder os seus poderes, mas a verdade é que esta entidade usurpou o papel do governo. Controla tudo e controla todas as nossas relações exteriores. Constrói e destitui governos à vontade.”
  • 1921 – O Coronel House reorganiza a filial americana do Institute of International Affairs transformando-o no Council on Foreign Relations (CFR).
  • 15/12/1922 – O CFR exalta o Governo Mundial na sua revista Foreign Affairs. Escreve o autor Philip Kerr: “É claro que não haverá paz nem prosperidade para a humanidade, enquanto a terra será dividida em cinquenta ou sessenta estados independentes, até que uma espécie de sistema internacional seja criado. O verdadeiro problema hoje é o Governo Mundial.”
  • 1928 – É publicado o livro de Herbert Gordon Wells (1866-1946) intitulado The Open Conspiracy: Blue Prints for a World Revolution (A Conspiração Aberta: Projectos para uma Revolução Mundial). O ex- socialista da Fabian Society escreve: “O política mundial da Conspiração Aberta deve enfraquecer, apagar, incorporar e substituir os governos existentes. A Conspiração Aberta é o herdeiro natural dos entusiasmos socialistas e comunistas; poderia governar em Moscovo antes de New York. O caráter da Conspiração Aberta será claramente explicado. Será uma religião mundial.”
  • 1933 – É publicado o trabalho de Herbert Gordon Wells The Shape of Things to Come (“A Forma das Coisas que Virão”). Wells prevê a Segunda Guerra Mundial, que vai deflagrar por volta de 1940, e que terá origem a partir de uma disputa germano-polaca. Depois de 1945, haverá uma crescente falta de segurança em áreas “criminalmente infectadas”. O plano para o “Moderno Estado Mundial” terá sucesso na sua terceira tentativa, e terá origem em algo acontecido em Bassora, no Iraque. Além disso, o livro afirma: “Apesar do Governo Mundial ter sido planeado para ser realizado em vários anos, e embora tenha sido infinitamente temido e desaprovado, não vai encontrar qualquer oposição.”
  • 21/11/1933 – Numa carta ao coronel Edward Mandell House, o presidente Franklin Delano Roosevelt (1882-1945) escreve: “A verdade é que, como eu e você bem sabemos, que desde os tempos da presidência de Andrew Jackson um elemento financeiro tomou posse do nosso governo.”
  • 01/03/1942 – Num artigo, a revista Time aborda a questão do Federal Council of Churches (“Conselho Federal das Igrejas”), que mais tarde tornou-se o National Council of Churches (“Conselho Nacional das Igrejas”), uma parte do World Council of Churches (“Conselho Mundial das Igrejas”), enfatizando o esforço para estabelecer a autoridade religiosa global.
  • 28/07/1945 – Durante um discurso em Kansas City, o presidente dos Estados Unidos Harry Truman (1884-1972) glorifica o Governo Mundial: “Vai ser fácil para as nações confederar-se numa república mundial como para nós foi juntar-se numa federação de estados unidos.”
  • 24/10/1945 – A Carta das Nações Unidas entra em vigor. Na mesma data, o senador do Idaho Glen Hearst Taylor (1904-1984) apresenta ao Senado a Resolução n º 183, que faz apelo ao Senado dos EUA apara que este se declare favorável ​​à criação de uma república mundial, que incluía uma força policial internacional.
  • 07/02/1950 – O judeu James P. Warburg (1896-1969), um eminente membro do Alto Finança e do Council on Foreign Relations, declara na frente da Sub-Comissão das Relações Exteriores do Senado dos EUA: “Quer vocês gostem ou não, vamos ter um Governo Mundial, ou com o consentimento ou pela força.”
  • 09/02/1950 – A Sub-Comissão das Relações Exteriores do Senado apresenta a Resolução n º 66, que afirma: “A fim de alcançar a paz universal e a justiça, a presente Carta das Nações Unidas deve ser alterada para proporcionar uma verdadeira constituição mundial.”
  • 1952 – A World Association of Parliamentarians for World Government (“Associação Mundial de Parlamentares para o Governo Mundial”) prepara um mapa projetado para ilustrar como as tropas teriam ocupado e controlado as seis regiões dos Estados Unidos e do Canadá se estes forem divididos, como parte do plano para um Governo Mundial.
  • 1954 – O príncipe Bernhard dos Países Baixos (1911-2004) cria o Club Bilderberg: estadistas e banqueiros internacionais que se reúnem secretamente com base anual .
  • 1961 – O documento n º 7277, publicado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, intitulado Freedom From War: The U.S. Program for General and Complete Disarmament in a Peaceful World (“Liberdade da Guerra: o Programa Norte-Americano de Desarmamento Geral e Completo num Mundo Pacificado”), descreve um plano de três fases para desarmar todas as nações e armar as Nações Unidas, com vista para a fase final na qual é afirmado: “Nenhum estado teria o poder militar para desafiar a Força de Paz progressivamente fortalecida das Nações Unidas.”
  • 1966 – O Professor Carroll Quigley (1910-1977), mentor de Bill Clinton na Universidade de Georgetown, é o autor de um volume intitulado Tragedy and Hope: A History of the World in Our Time ( “Tragédia e Esperança: a História do Mundo no Nosso Tempo”), no qual afirma: “Existe e tem existido há uma geração uma rede internacional que opera, em certa medida, da mesma forma radical como os comunistas atuam. De facto, essa rede, que podemos identificar com o nome de Round Table (“Mesa Redonda”), não tem nenhum problema em trabalhar com os comunistas, ou com outros grupos, e muitas vezes se comporta da mesma maneira. Eu conheço as atividades desta rede, pois estudo-a há 20 anos e tive a permissão, ao longo de dois anos no início da década dos anos ’60, de examinar os seus documentos secretos. Não tenho adversão para esta rede e para a maioria dos seus propósitos, e tenho sido, durante muitos anos da minha vida, ao lado deles e de muitos dos seus instrumentos. Tinha algumas reservas, tanto no passado e recentemente, em algumas das suas políticas, mas, em geral, a minha principal divergência de opinião é o facto dela desejar permanecer em segredo, enquanto eu acredito que o seu papel na história é significativo o suficiente para merecer ser conhecido.”
  • 01/04/1972 – No seu ponto chave enviado para a Association for Childhood Education International (“Associação Internacional para a Educação da Infância”), Chester M. Pierce, Professor da Educação e Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard, afirma: “Todas as crianças americanas que entrarem nas escolas com cinco anos de idade são alienados, porque vêm para a escola ainda ligados ao ideal de pátria, aos seus pais e à crença num ser sobrenatural. Toca a vocês, queridos professores, certifique-se de que todas estas crianças doentes sejam as crianças internacionais do futuro.”
  • 01/07/1973 – O banqueiro internacional judeu, membro fiel do Council on Foreign Relations, David Rockefeller, funda uma nova organização chamada Trilateral Commission (“Comissão Trilateral”), cujo objectivo oficial é “harmonizar as relações políticas, econômicas, sociais e culturais entre as três maiores regiões econômicas do mundo” (daí o adjectivo “Trilateral”). Convida o futuro presidente Jimmy Carter a tornar-se um dos membros fundadores. Zbigniew Brzezinski é o primeiro diretor da organização. De acordo com a organização, as três principais regiões econômicas do mundo são: Europa, América do Norte e Extremo Oriente (Japão, Coreia do Sul, Taiwan). Se, sob o pretexto de unir forças para ser capazes de lidar com a concorrência econômica das outras duas regiões econômicas os países membros de cada uma destas três regiões decidirem unir-se num um único país (formando três super- estados), o governo mundial ficará muito mais perto. Na Europa é criada a União Europeia, enquanto na área da América do Norte, a fusão dos países está em andamento com a passagem para o livre comércio entre o Canadá, os EUA, e depois com o México. Supõe-se que, no futuro, este acordo de livre comércio também irá incluir todos os países da América Central e do Sul, com uma moeda única para todos.
    Em Madrid, no dia 6 de Maio de 2002, o presidente do México, Vicente Fox, afirma: “Finalmente, o nosso objetivo de longo prazo é estabelecer com os Estados Unidos, mas também com o Canadá, nosso outro parceiro regional, um conjunto de ligações e instituições similares aos criados pela União Europeia.”
  • 1973 – O Clube de Roma , uma organização que trabalha para a ONU, publica um relatório intitulado Regionalized and Adaptive Model of the Global World System (“Modelo Regional e Adaptável dum Sistema Global Mundial”). Este relatório divide o mundo em dez regiões.
  • 1979 – A Federal Emergency Management Agency (“Agência Federal de Gestão da Emergência”, FEMA) são conferidos enormes poderes. No caso de “emergência nacional”, tem o poder de suspender as leis, deslocar populações inteiras, prender e deter cidadãos sem mandado e mantê-los na prisão sem julgamento. Pode apreender bens, alimentos, sistemas de transporte, pode suspender a Constituição. Não só é a entidade mais poderosa dos Estados Unidos, mas nem foi criada com uma lei constitucional promulgada pelo Congresso. A FEMA foi criado por um decreto presidencial.Eis algumas ordens executivas que permitem à FEMA suspender a Constituição e a Carta de Direitos (bastando, para isso, uma ordem executiva do Presidente dos EUA):

N º 10.995: Direito de explorar todos os meios de comunicação nos Estados Unidos;
N º 10.997: Direito de explorar todas as formas de energia elétrica , combustíveis e minerais, públicos e privados;
N º 10.999: Direito de explorar todos os meios de transporte, incluindo veículos pessoais de qualquer tipo, e controle total de todas as estradas, portos e cursos de água;
N º 11.000: Direito de prender qualquer indivíduo e dividir qualquer família para criar uma força de trabalho que pode ser transferida para qualquer lugar considerado necessário pelo Governo;
N º 11.001: Direito de explorar qualquer unidade de saúde ou de educação, e cada instituição com uma finalidade social, público e privado;
N º 11.003: Direito de explorar todo o espaço aéreo, aeroportos e meios aéreos;
N º 11.004: Direito de explorar qualquer atividade de construção e assistência financeira para estabelecer “áreas designadas para a transferência”, e forçar a população a abandonar as áreas classificadas como “perigosas”;
N º 11.005: Direito de explorar todas as ferrovias, vias navegáveis ​​interiores e todos os edifícios utilizados para o armazenamento, públicos e privados;
N º 11.921: São autorizados planos para estabelecer o controle dos salários, do crédito e do fluxo de dinheiro em bancos norte-americanos.

  • 9/11/1989 — Queda do Muro de Berlin, completando a dissolução deliberada da URSS e do comunismo .
  • 11/4/1990 — O presidente russo Gorbachev anunciou que a Rússia participaria na Nova Ordem Mundial.
  • 2/8/1990 — Invasão iraquiana ao Kuwait.
  • 17/8/1990 — O presidente Bush (pai) anunciou que a invasão iraquiana “ameaça a Nova Ordem Mundial”.
  • 29/01/1991 – O presidente George Bush (o pai) fala em termos positivos da Nova Ordem Mundial durante uma mensagem à nação: “Não é apenas uma pequena nação, mas uma grande ideia: a Nova Ordem Mundial, em que nações diferente uma das outras unem-se num esforço comum para alcançar o objectivo universal da humanidade: a paz e a segurança, a liberdade e o estado de direito [ … ], para alcançar as aspirações universais da humanidade [ … ], com base em princípios comuns e na lei […]. A iluminação de mil pontos de luz [ … ]. Agora o vento de mudança está entre nós.”
  • 01/06/1991 – Os líderes mundiais encontram-se para uma nova reunião a portas fechadas do Clube Bilderberg em Baden Baden, na Alemanha. Na ocasião, David Rockefeller afirma: “Nós somos gratos ao Washington Post, ao New York Times e a outras publicações cujos diretores têm participado nos nossos encontros e cumpriram as suas promessas de discrição durante quase quarenta anos. Teria sido impossível para nós desenvolver o nosso plano se tivéssemos sido sob os holofotes durante esses anos. Mas o mundo agora está mais sofisticado e preparado para marchar rumo a um governo mundial. A autoridade e a soberania de uma elite intelectual de banqueiros internacionais é certamente preferível à autodeterminação nacional praticada nos séculos passados.”
  • 19/10/1991 – David Funderburk, ex- embaixador dos EUA na Romênia, afirma durante uma palestra pública na Carolina do Norte: “George Bush está rodeado por pessoas que acreditam num Governo Mundial. Acreditam que o sistema soviético e o sistema americano são convergentes.”
  • 11/9/1991 — O presidente Bush (pai) comparece à sessão conjunta do Congresso e faz seu discurso “Rumo a uma Nova Ordem Mundial”.
  • 21/05/1992 – Num discurso para a reunião do Clube Bilderberg em Evian, França, o ex-secretário de Estado Henry Kissinger declara: “Hoje, os americanos ficariam indignados se tropas da ONU entrassem em Los Angeles para restaurar a ordem, mas amanhã estariam muito grato! Isto é especialmente verdadeiro se forem informados acerca duma ameaça externa, real ou fictícia, que põe em risco a nossa própria existência. Depois disso, todos os povos do planeta iriam suplicar os líderes mundiais para livrá-los deste mal. A única coisa que o homem realmente teme é o desconhecido. Perante este cenário, os direitos individuais serão voluntariamente suprimidos desde que a garantia de ordem e da paz seja dada por um governo mundial.”
  • 20/07/1992 – A revista Time publica um artigo intitulado The Birth of the Global Nation (“O Nascimento da Nação Global”), de Strobe Talbott, companheiro de quarto de Bill Clinton na Universidade de Oxford, director do Council on Foreign Relations e membro da Comissão Trilateral. No artigo escreve: “A nação, como a conhecemos, vai tornar-se obsoleta, todos os estados reconhecerão uma única autoridade global [ … ]. Todos os países são, basicamente, convenções sociais [ … ]. Nenhuma destas coisas, que para muitos podem parecer permanentes ou até mesmo sagradas, permanecerão: de facto, essas instituições são totalmente artificiais e temporárias [ … ]. Afinal das contas, a soberania nacional não era uma grande ideia [ … ]. Mas é claro que os acontecimentos no nosso século, maravilhoso e terrível ao mesmo tempo, necessariamente vão na direção de um governo mundial.”
  • 31/12/1992 — Formação da Europa Ocidental como a primeira supernação no Plano de Reorganização em Dez Nações.
  • 1993 – Um segundo Parlamento Mundial das Religiões é realizado em Chicago, em ocasião do 100 º aniversário do primeiro Congresso. Como durante a reunião anterior, a tentativa é de reunir todas as religiões do mundo numa “coisa harmoniosa”, mas também tentar uni-las através dos elementos originais das suas crenças comuns. As religiões monoteístas tradicionais, como o Cristianismo, são considerados incompatíveis com a iluminação individual, e devem, então, ser drasticamente alteradas.
  • 18/07/1993 – O membro do Council on Foreign Relations e da Comissão Trilateral (e judeu) Henry Kissinger escreve no Los Angeles Times sobre o Acordo de Livre Comércio da América do Norte: “O que o Congresso terá de ratificar não é um simples acordo comercial mas a arquitetura de um novo sistema internacional [ … ], um primeiro passo em direção a uma nova ordem mundial.”
  • 1994 – No Human Development Report (“Relatório de Desenvolvimento Humano”) publicado pelo Programa de Desenvolvimento da ONU, há uma secção chamada Global Governance for the 21st Century (“Governança Global para o Século 21”). O administrador deste programa é nomeado por Bill Clinton: o nome é James Gustave Speth. Na abertura, o relatório afirma: “Os problemas da humanidade não podem mais ser resolvidos pelos governos nacionais. O que nós precisamos é de um Governo Mundial. Este pode ser alcançado através do reforço do sistema das Nações Unidas.”
  • 03/05/1994 – O presidente Bill Clinton assina a Diretiva Presidencial n º 25, e, em seguida, é classificada como top secret para que os Americanos não possam conhecer o seu conteúdo.
  • 23/09/1994 – Os globalistas percebem que um número crescente de pessoas começam a tomar consciência do que está a acontecer, eles têm um tempo limitado para melhorar as suas políticas. Falando no jantar dos embaixadores das Nações Unidas, David Rockefeller afirma: “Esta janela de oportunidade, durante a qual é susceptível de ser construída uma ordem mundial verdadeiramente pacífica e interdependente, vai ficar aberta por um longo tempo [ … ]. Estamos à beira de uma transformação global. Tudo o que precisamos é crises e as nações aceitarão a Nova Ordem Mundial.”
  • 01/03/1995 – Os delegados da ONU reúnem-se em Copenhaga, na Dinamarca, para discutir os vários métodos para impor impostos globais aos habitantes do mundo.
  • 19/4/1995 — Atentado à bomba ao Edifício Federal Murrah, em Oklahoma City.
  • 01/09/1995 – Popular Science descreve a instalação top secret da Marinha dos EUA chamada HAARP (High-Frequency Active Auroral Research Program, “Programa de Pesquisa da Aurora Ativa de Alta Frequência”), no Estado do Alaska. Este projeto é capaz de emitir uma radiação energética poderosa na atmosfera superior da Terra. Um dos objetivos do programa é desenvolver a capacidade de manipular o clima a nível local, utilizando as técnicas desenvolvidas por Bernard Eastlund.
  • 27/09/1995 – Tem lugar em San Francisco o Fórum Mundial, promovido pela Fundação Gorbachev. O presidente da fundação, Jim Garrison, conduz o encontro que reúne grandes personalidades de todo o mundo, incluindo Margaret Thatcher, Maurice Strong, George Bush, Mikhail Gorbachev e outros. A conversa centra-se na unicidade da humanidade e o futuro do governo global. No entanto, o termo “governo global” é usado em vez de “Nova Ordem Mundial”, uma vez que este último tornou-se um peso político, uma palavra que coloca em alerta os adversários do governo global.
  • 1996 – A ONU publica um relatório intitulado Our Global Neighborhood (“A Nossa Vizinhança Global”), de 420 páginas. Nele esboça um plano para a “Governação Global”, na qual é pedida uma Conferência Internacional sobre a Governação Global, em 1998, com a finalidade de apresentar ao mundo os tratados e os acordos que devem ser homologados até o ano de 2000.
  • 31/12/1999 — O monumento a Washington é iluminado com luzes coloridas e fogos de artifício no meio da noite escura.
  • 28/8 a 10/9/2000 — Três Conferências do Anticristo são realizadas nas Nações Unidas.
  • 11/9/2001 — Ataques ao World Trade Center e ao Pentágono.
  • 11/10/2001 — Tom Brokaw anuncia que o mundo está agora formado na Nova Ordem Mundial.
  • 26/10/2001 — O presidente George W. Bush assina a lei que dá ao governo federal poderes ditatoriais e severamente — se não fatalmente — corrói as liberdades e garantias individuais.

Metas e planos de implementação da Nova Ordem Mundial

Os Estados Unidos é uma nação governada por detrás dos bastidores por uma elite secreta conspirativa com desejos ocultos, ou seja, um pequeno grupo secreto quer mudar o sistema de governo e colocar o país sob o controle de um governo mundial.

No passado, os conspiradores foram normalmente chamados de comunistas que estavam decididos a trazer aos Estados Unidos um governo mundial parecido com a União Soviética, mas com a dissolução da URSS em 1991 acabou sendo criada essa nova teoria. A Organização das Nações Unidas será a força provável controladora de uma Nova Ordem Mundial.

A população mundial de 8 bilhões de pessoas é governada por uma elite de menos de 6.000 indivíduos. Até o final do século 20, os governos das grandes potências forneceram a maioria da classe dos super ricos, acompanhados de algumas cabeças de movimentos internacionais (isto é, o Papa da Igreja Católica) e empresários (Rothschilds, Rockefellers). No início do século 21, a influência desproporcional da classe dos super ricos sobre a política nacional foi até construtiva, mas eles sempre estão interessados apenas em interesses pessoais, eles utilizam da corrupção e de governos opressivos, para fazer negócios nos países de todo o mundo.

A história do mundo é basicamente a história da guerra entre as sociedades secretas, as famílias mais ricas do mundo fundaram o Grupo Bilderberg, Bohemian Club, Clube de Roma, Conselho de Relações Exteriores, Skull and Bones, Comissão Trilateral, e grupos de reflexão semelhantes, além de outros clubes privados, eles formam uma elite de conspiradores tramando para impor uma totalitária Nova Ordem Mundial, implementando um governo mundial autoritário controlado pela Organização das Nações Unidas e um Banco Central Global, que mantém o poder político através do controle da economia, controle da mídia, da vigilância em massa, e do uso generalizado do terrorismo de estado.

Controle populacional

A Nova Ordem Mundial está sendo implementada através do controle populacional, a fim de monitorar e controlar mais facilmente o movimento dos indivíduos.

Os meios variam como o de parar o crescimento das sociedades humanas através da saúde reprodutiva e de programas de planejamento familiar, que promovem a abstinência, o uso de contracepção e aborto, ou reduzem intencionalmente a maior parte da população mundial através de genocídios através de guerras desnecessárias, por meio de pragas, criadas pela engenharia e através da criação de vírus e vacinas, além de desastres ambientais provocados por armas secretas que controlam o tempo como o (HAARP, Chemtrails), etc. Os globalistas lutam para implementar uma Nova Ordem Mundial, todos seguindo o conceito neo-malthusiano dedicando-se a dizer que o mundo possui uma superpopulação, além disso, querem criar alarmismos sobre as mudanças climáticas, a fim de conseguir o apoio do público para o controle populacional coercitivo e, finalmente, a criação do governo mundial tirânico e autoritário. A Agenda 21 teve o objetivo de reconcentrar as pessoas em áreas urbanas e despovoar as áreas rurais.

Os globalistas querem criar uma nova eugenia “guerra contra os fracos” igual ao antigo movimento que ocorreu nos Estados Unidos durante as primeiras décadas do século 20, e continuou durante a década de 1940 e 1950, e, foi desaparecendo na década de 1960.

A fluoretação da água, a vacinação em massa,  os programas e serviços de saúde mental, são na verdade planos de longo alcance de um regime ditatorial e tirânico, que quer fazer a população mundial ficar adormecida e idiotizada.

O crescimento do internacionalismo, particularmente a Organização das Nações Unidas e os seus programas; a introdução de programas de bem-estar social, em particular os vários programas estabelecidos pelo New Deal; e os esforços do governo para reduzir as desigualdades na estrutura social dos EUA, são na verdade engenharia social para controlar e escravizar as pessoas.

Controle Mental

Os governos, corporações e os meios de comunicação estão envolvidos na fabricação de um consenso nacional e global, criando uma cultura do medo devido ao potencial aumento do controle social que uma população desconfiada e mutuamente temendo pode oferecer para quem está no poder.

A Nova Ordem Mundial será implementada através do uso do controle da mente, é em breve será possível provar que a telepatia é algo possível e existente e que a mente das pessoas, podem ser lidas e controladas. As táticas capazes de subverter o controle de um indivíduo de seus próprios pensamentos, comportamentos, emoções, ou decisões.

Essas táticas incluem tudo, como a lavagem cerebral (Projeto MKULTRA, Projeto Monarch) para engenharia de operações psicológicas (a fluoretação da água, mensagens subliminares, telepatia) e operações psicológicas (Projeto Stargate) para influenciar as massas.

A Nova Ordem Mundial é uma conspiração abrangente que envolve o controle da mente, controle populacional, ocultismo, abuso de vigilância, o governo.

Vigilância em massa

O abuso da vigilância é mais uma faceta da Nova Ordem Mundial que está sendo implementada pelo culto da inteligência e da informação através da vigilância em massa e do uso de inúmeras ferramentas de segurança social, como o Código de Barras, mais recentemente, a etiquetagem através do chip RFID, os implantes de microchips na pele dos cidadãos, o sistema de posicionamento global, mais conhecido pela sigla GPS (global positioning system), e os VANTs (drones), Veículos Aéreos Não Tripulados para vigiar ou atacar cidadãos e edificações..

As corporações e o governo planejam acompanhar cada movimento dos consumidores e cidadãos com o chip RFID, lembrando muito o livro “1984” de George Orwell. A Bíblia Sagrada estava certa quando disse que a marca da besta iria fazer só as pessoas que a possuíssem, comprar ou vender, essas tecnologias são semelhantes ao que foi profetizado no livro do Apocalipse.

Gradualismo do Plano da Nova Ordem Mundial

A Nova Ordem Mundial está sendo implementada gradualmente.

Basta associarmos o plano com a sua formação gradual que se deu com a criação do Sistema da Reserva Federal dos Estados Unidos em 1913; a Liga das Nações, em 1919; o Fundo Monetário Internacional, em 1944; Nações Unidas em 1945; o Banco Mundial em 1945; a Organização Mundial da Saúde em 1948; a União Europeia e o euro em 1993; a Organização Mundial do Comércio em 1998; a União Africana, em 2002; e a União das Nações Sul-Americanas em 2008 como marcos principais.

A hipotética união norte-americana e a criação da moeda “Amero”, foi proposta pelo Conselho de Relações Exteriores e os seus homólogos no México e no Canadá, sendo este o próximo marco na implementação da Nova Ordem Mundial. Sabe-se que um grupo de elite está planejando substituir o governo federal dos Estados Unidos para um governo transnacional. Acredita-se que as fronteiras entre México, Canadá e Estados Unidos irão ser apagadas, secretamente, por um grupo de globalistas cujo objetivo final será substituir os governos nacionais em Washington, DC, Ottawa e Cidade do México, em um plano parecido com o da União Europeia.

Para fazer que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradualmente, a conta-gotas, por anos consecutivos.

Foi dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas, neoliberalismo por exemplo, foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990.

Estratégia também utilizada por Hitler e por vários líderes comunistas. E comumente utilizada pelos grandes meios de comunicação.

Ocultismo

O ocultismo sempre fez parte das sociedades secretas e elas estão por trás dos planos para a Nova Ordem Mundial

As teorias dos primeiros mistagogos(“condutor de mistérios”) do gnosticismo e perpetuada pelos seus esotéricos sucessores, como os Cabalistas, Cátaros, Cavaleiros Templários, Hermetistas, Rosacruzes, maçons, e, finalmente, os Illuminati estão tentando subverter os fundadores do mundo ocidental (judeus e cristãos) e implementar uma Nova Ordem Mundial através de uma religião mundial, que prepara as massas para abraçar o culto imperial do Anticristo.

Em termos mais amplos, sabe-se que os globalistas que maquinam em nome de uma Nova Ordem Mundial são dirigidos por agências ocultas de algum tipo: superiores desconhecidos, hierarquias espirituais, demônios, anjos caídos e / ou Lúcifer.

Os conspiradores usam o poder de ciências ocultas (numerologia), símbolos (Olho de Hórus), rituais (graus maçônicos), monumentos (Obeliscos), edifícios e instalações para avançar em seu plano para dominar o mundo.

Em junho de 1979, uma pessoa desconhecida sob o pseudônimo de “RC Christian” construiu um monumento em granito localizado no Condado de Elbert, Geórgia, Estados Unidos, que age como uma bússola, um calendário e relógio. Uma mensagem que compreende dez guias está inscrito na estrutura oculta em muitos idiomas diferentes para servir como instruções para sobreviventes de um evento do fim do mundo a fim de estabelecer uma civilização mais esclarecida e sustentável do que a que foi destruída pelo Armagedom. As Pedras Guias da Geórgia “Georgia Guidestones” atraiu alguns seguidores da Nova Era e neo-pagãos para reverenciá-la enquanto alguns teóricos da conspiração estão convencidos de que elas contenham os dez mandamentos do anti-cristo e da Nova Ordem Mundial .

Golpe de Estado

A Nova Ordem Mundial será implementada através de um dramático golpe de Estado feito por uma ” elite secreta “, nos EUA e em outros Estados-Nação para implementar o governo mundial totalitário controlado pela Organização das Nações Unidas e tendo as tropas de estrangeiros das forças de paz da ONU como o exército mundial.

Este golpe militar irá suspender a Constituição, impor a lei marcial, e fazer a nomeação de comandantes militares para dirigir governos estaduais e locais e deter dissidentes.

Para conseguir implementar esse plano, o Governo irá fazer o controle das armas, deixando a população sem meios para se defender, criando uma legislação que trará a total abolição da posse de armas pessoais, criando uma campanha de confisco de armas, além da criação de campos de refugiados, como os campos da FEMA, existentes nos Estados Unidos, esses campos de concentração serão usados para o internamento de suspeitos e subversivos.

Os ataques de 11 de setembro de 2001 foram uma operação de bandeira falsa (false flag) realizada pela comunidade de inteligência dos Estados Unidos, como parte de uma estratégia, para gerar uma tensão que justificasse a repressão política no país e também uma guerra preventiva no exterior, esse incidente terrorista foi o responsável por desencadear a Diretiva Executiva 51, a fim de fazer a transição para um estado policial totalitário.

Regra de Três (AÇÃO, REAÇÃO e SOLUÇÃO)

A tática mais usada pelos Senhores do Mundo que querem implementar a Nova Ordem Mundial é se utilizar da regra de 3.

A ideia consiste em 3 etapas: criar o problema, divulgar o problema e apresentar a solução para esse problema criado artificialmente; ou ação, reação e solução. Isso é muito frequente e utilizado constantemente pelos meios de comunicação e governos.

  • AÇÃO – 1º Passo: Criar o problema: eles criam alguma situação preocupante, algo que toda a sociedade tenha medo. Como exemplos vou usar a criminalidade e o vírus H1N1. Eles dizem que a criminalidade aumenta, ou criam um vírus em laboratório. Criado o problema, eles concluem o primeiro passo da regra de 3.
  • REAÇÃO – 2º Passo: Divulgar o problema: Ao criarem o problema, eles divulgam esse problema na mídia, como por exemplo, que a criminalidade aumenta a cada dia mais e que algo precisa ser feito. No caso do vírus, divulgam que esse vírus “terrível” está adoentando e matando várias pessoas por dia, repetem isso, todos os dias nos meios de comunicação. Eles tem métodos muito eficazes de divulgação, além da alienação das massas e a crença das massas alienadas nos meios de comunicação. Eles divulgam os problemas pra fazer o povo exigir algo que na verdade não precisam, algo que eles já queriam fazer, mas que, normalmente não seria aceito pela sociedade, por isso eles precisam fazer todo esse escândalo na mídia, para que quando eles fizerem o que planejam, isso já será bem aceito. Fazendo esse método, eles concluem a segunda etapa da regra de 3 e chegam mais perto do que querem fazer.
  • SOLUÇÃO – 3º Passo: Apresentar a solução: quando toda a sociedade já está alarmada, senão em pânico, eles apresentam a solução, o que eles queriam fazer desde o começo. No caso da criminalidade, eles implantam câmeras nas cidades (o Big Brother), para nos vigiar e fazem isso parecer algo bom, alegando que irão monitorar a criminalidade e o trânsito. No caso do vírus, eles nos apresentam a vacina, que é um método para a redução populacional, e fazem isso parecer algo bom também, alegam que querem nos “imunizar” e salvar nossas vidas. Nesta terceira etapa, eles apenas conseguem o que queriam desde o inicio, concluindo assim, a regra de 3.

Eles usam isso para nos fazer exigir o que eles querem e aceitarmos tranquilamente sem revolta. Eles precisam nos manter alienados para isso, precisam manter o gado (nós) no pasto (dentro do sistema, alienados). Toda a mídia é controlada e usada por eles para fazerem isso, mas a maioria das pessoas não percebe, e isso é terrível, porque essa é uma forma de eles controlarem o mundo. Se você prestar um pouco mais de atenção em tudo que ver, será mais fácil reparar em coisas assim, você vai aprender a raciocinar e tomar suas próprias decisões. Com certeza você não quer ser vigiado 24 horas por dia e muito menos ter a saúde prejudicada por essas vacinas, ninguém quer uma Ditadura Global que visa eliminar todos os que incomodarem.

Este método também é chamado “problema-reação-solução“. Se cria um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja aceitar.

Por exemplo: Deixar que se desenvolva ou que se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas desfavoráveis à liberdade.

Criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos. (qualquer semelhança com a atual situação do Brasil não é mera coincidência).

Engenharia social para controlar a população

Engenharia social é termo utilizado para descrever um método de ataque, onde alguém faz uso da persuasão, muitas vezes abusando da ingenuidade ou confiança do usuário, para obter informações que podem ser utilizadas para ter acesso não autorizado a computadores ou informações delicadas, muitas vezes visa manipular ou controlar os indivíduos.

Estratégia da Distração

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração, que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio, ou inundação de contínuas distrações e de informações insignificantes.

A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir o público de interessar-se por conhecimentos essenciais, nas áreas da ciência, economia, psicologia, neurobiologia e cibernética. Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, muito ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais, indo da casa para o trabalho, ou da casa para a escola, sem questionar absolutamente nada.

Estratégia de diferir

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como “dolorosa e necessária“, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura.

É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Depois, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “amanhã tudo irá melhorar” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se à ideia da mudança e aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

Dirigir-se ao público como crianças

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse uma criança de pouca idade ou um deficiente mental.

Quanto mais se tenta enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante.

Por quê? “Se alguém se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como as de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade.”

Utilizar o aspecto emocional muito mais do que a reflexão

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e finalmente no sentido crítico dos indivíduos.

Por outro lado, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou injetar ideias, desejos, medos e temores, compulsões ou induzir comportamentos.

Manter o público na ignorância e na mediocridade

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão.

A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores e as classes sociais superiores seja e permaneça impossível de ser revertida por estas classes mais baixas.

Estimular o público a ser complacente com a mediocridade

Promover ao público a crer que é moda o ato de ser estúpido, vulgar e inculto. Introduzir a idéia de que quem argumenta demais e pensa demais é chato e mau humorado, que lhe falta humor de sorrir das mazelas da vida.

Assim as pessoas vivem superficialmente, sem se aprofundar em nada e sempre ter uma piadinha para se safar do aprofundamento necessário a questões maiores.

A idéia é tornar qualquer aprofundamento como sendo desnecessário. Pois qualquer aprofundamento sério e lúcido sobre um assunto pode derrubar sistemas criados para enganar a multidão.

Todo assunto que deve ser tratado com seriedade, deve ser visto nos meios de comunicação por “especialistas” do sistema, que irão dizer tudo que a elite dominante que controla os meios de comunicação querem que o público fique sabendo, dirigindo os assuntos importantes sob o prisma que a elite quer que o público saiba, normalmente esses “especialistas” são apenas vassalos pagos para enganar o público alienado.

Reforçar a auto-culpabilidade

Fazer com que o indivíduo acredite que somente ele é culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, suas capacidades, ou de seus esforços.

Assim, no lugar de se rebelar contra o sistema econômico, o indivíduo se auto desvaloriza e se culpa, o que gera um estado depressivo, cujo um dos efeitos é a inibição de sua ação. E, sem ação, não há questionamento!

Conhecer aos indivíduos melhor do que eles mesmos se conhecem

No transcurso dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado uma crescente brecha entre os conhecimentos do público e aqueles possuídos e utilizados pelas elites dominantes.

Graças à biologia, a neurobiologia a psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado sobre a psique do ser humano, tanto em sua forma física como psicologicamente.

O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos, maior que dos indivíduos sobre si mesmos.

Com a internet, diversas empresas de tecnologia sabem melhor do individuo, até que o próprio individuo, fazendo uso de técnicas e analises comportamentais, eles se utilizam de mecanismos de buscas e redes sociais para formar bancos de dados, que cruzam informação e conhecem a população de determinado país, estado, cidade, podendo manipular os indivíduos de forma individual ou coletiva, até mesmo de forma regional.

Origem da NOM – Nova Ordem Mundial

Todo movimento imperialista tem uma primeira “filosofia” depois passa por um período de debate para finalmente aparecer ao público.

A NOMNova Ordem Mundial com essa configuração surgiu a muito tempo atrás, no antigo Egito, por isso as sociedades secretas atuais traçam sua fundação até o Egito antigo.

esfinge

O Egito faraônico foi a primeira superpotência mundial, antes deles existiram civilizações organizadas, porém eram regionais. O Egito foi herdeiro de todo o conhecimento das civilizações anteriores e criaram um império que possuía: invenções, livros, cultura, civilização sendo a versão oficial da renascença europeia, mais um mito histórico, o Egito e outras civilizações já possuíam elementos avançados como: pirâmides, estradas, exércitos, realizava comércio com entrega de produtos que saiam do Egito e iam até a Ásia, tendo grande parte do nosso cotidiano atual já sendo vivido no Egito antigo. Os conhecimentos mais avançados eram apenas passados para os iniciados nas sociedades secretas que governavam o império.

Naquele Egito existia um grupo de pessoas que la habitavam mais não eram egípcios: os HICSOS, deduz-se que esse termo traduzido seja Governantes Estrangeiros. Os HICSOS eram na sua maioria povos semitas e possuíam várias subdivisões: asiáticos, africanos, cananitas e etc. No meio de todo esse sincretismo, destacava-se a herança do último grande império antes do Egito, que foi a Mesopotâmia/suméria. A ideologia principal do império mesopotâmico consistia em seguir e crer no termo NIBIRU, esse termo atualmente é muito conhecido mas não tem originalmente nada haver com um planeta, vem de ni-bu-rum que significa o solstício de verão e as constelações relacionadas.

O Deus máximo dos sumérios Marduk recebeu o título de Nibiru por ter entrado no meio de Tiamat; Nibiru significa aquele que captura o meio. Como ponto mais alto do caminho dos planetas, nibiru era considerado o trono do deus supremo que pastoreia as estrelas como ovelhas, na Babilônia identificado como Marduk. Logo, na suméria surgiram elites denominados povos de marduk ou povos de NIBIRUM, a qual essas elites também alegavam ter o direito divino de governar as ovelhas (povo).

Egito faraônico

Na Palestina, os Hicsos que sobreviveram do conflito entre Egipcios X Hicksos, eram compostos na sua maioria pelos HIBIRUM que após derrotar e destruir vários povos no caminho, porque possuíam tecnologia de armas e técnicas do maior império da época, o Egito, fundaram no local uma nação. O nome da nação é uma homenagem as principais culturas que formavam aquele povo: ISRAEL

  • ISIS (principal Deusa egípcia),
  • Ra (principal Deus sol egípcio),
  • El (principal Deus cananita).

Séculos depois quando o Egito faraônico perdeu sua força, Israel passou a ser visto como herdeiro dos conhecimentos egípcios. Em Israel se criou um templo, que era governado por sociedades secretas nos moldes Egípcios, isso é por exemplo citado no livro bíblico de Ezekiel que encontra membros das sociedades secretas no templo.

ISRAEL

Essa sociedade secreta de Israel era governada pelo sinédrio e tinha o braço armado publico chamado de ZELOTES. Herdeiros da ordem egípcia eles criaram sua própria ordem nos séculos III-II-I AC até I DC e desafiaram o poder europeu da época (Império Romano) terminando sendo derrotados em 70DC pelo general Vespasiano. Depois, alguns remanescentes liderados por Simão bar Kokhba tentaram reverter a situação mais foram também derrotados em 150DC pelo imperador Adriano. O cristianismo nasceu em 70DC pelas mãos da aristocracia romana para combater a ordem do templo de Israel criando uma ideologia religiosa global para concorrer com eles. Em 70DC foi escrito o evangelho segundo Marcos em língua grega e o livro é totalmente pró-roma.

No final do Império Romano alguns adeptos ideológicos de Israel, ricos financeiramente começaram a influenciar. Isso fez com que o Império romano reagisse adotando o cristianismo de forma oficial no século IV. Após a queda do império e elites romanas a influência pró-Israel cresceu de modo que séculos após surgiu uma sociedade secreta paramilitar idêntica ao zelotes/sinédrio: eram chamados “Cavaleiros Templários“, templário vem de TEMPLO DE SALOMÃO, onde Israel era governado e existia a sociedade secreta herdeira do Egito, aquela que os romanos destruíram em 70DC.

Séculos depois a esses eventos para mostrar que os templários enfraquecidos jamais foram cristãos e que nunca representaram a Igreja/Europa foi convocado o Concílio de Viena (16 de Outubro de 1311) onde a Igreja Católica excomungou os Templários e o Rei da França, deu um golpe financeiro neles e os baniu da Europa sob a comprovação de nunca terem sido cristãos. Os templários fugiram para o lugar mais inóspito possível na Europa: a Escócia. De la, com os conhecimentos que aprenderam no oriente médio e o dinheiro que lhe restaram ajudaram um homem chamado “Jonny the bruce” neto de Robert the Bruce a conseguir a independência da Inglaterra. No decorrer daquele tempo, a Inglaterra estava frágil e os templários propuseram a eles uma unificação de Inglaterra, Escócia e outros reinos, o que resultou na criação do Império Britânico.

O islã muçulmano ou latinizado do árabe MUSLIM na África se diziam MUSSUM, dai surgiu a palavra MASOM, em fato essa palavra tem milênios e é conhecida em vários idiomas, em francês ela era usada para dignificar o trabalhador humilde, pedreiro, em árabe ela significa algo muito parecido : “o humilde submisso”, o islã começou na Arabia Pré-islamica no meio de pedreiros oprimidos, sendo essa nova versão oficial dos templários agora chamados Maçonaria.

Maçonaria

A igreja católica descobriu o plano templário, excomungou a organização Demolay e no dia 18 de março de 1314, Jacques de molay, foi condenado pelo rei da França, “Felipe o Belo” e pela igreja de Roma, pelo Papa Clemente V a morte na fogueira. Foi desta forma que chegou a criação da maçonaria.

estrela de david

O símbolo da maçonaria nada mais é do que uma estrela de Davi feita com régua e compasso. Finalmente, os feitos, o reinado de terror, a explosão de ódio satânico contra a Igreja, contra o cristianismo, as horríveis blasfêmias em que prorrompiam os revolucionários maçons da França, não são mais do que a expressão e o cumprimento das aspirações das seitas cabalísticas e secretas que durante tantos séculos vinham trabalhando secretamente contra o cristianismo e outros.

Ordem dos Illuminati

A Ordem dos Illuminati é uma sociedade secreta fundada em 1 de maio de 1776, em Ingolstadt (Baviera), por Adam Weishaupt, que foi o primeiro professor leigo de Direito Canônico na Universidade de Ingolstadt. O movimento consistiu de livres-pensadores, secularistas, liberais, republicanos e pró-feministas, recrutados nas lojas maçônicas da Alemanha, que visavam promover o perfeccionismo, através de escolas de mistério.

Em 22 de junho de 1784, Carlos Teodoro, Príncipe-Eleitor, Conde Palatino e Duque da Baviera advertiu sobre o perigo representado pelos Illuminati, e aprovou um decreto contra a sociedade Bávara.

Em 1785, a ordem foi infiltrada, quebrada e reprimida pelos agentes do governo de Carlos Teodoro, Eleitor da Baviera, em sua campanha para neutralizar a ameaça das sociedades secretas que se tornaram focos de conspirações para derrubar a monarquia da Baviera e da sua religião do Estado, o Catolicismo .

 

No final do século XVIII, o físico escocês John Robison e o sacerdote jesuíta francês Augustin Barruel, afirmaram que os Illuminati sobreviveram à repressão e tornaram-se os cérebros por trás da Revolução Francesa e do Reino do Terror. Os Illuminati eram déspotas que estavam tentando secretamente orquestrar uma revolução mundial, a fim de globalizar os ideais mais radicais do Iluminismo – o anticlericalismo, a antimonarquia e o antipatriarcalismo. Durante o século XIX, o medo de uma conspiração dos Illuminati era uma preocupação real das classes dominantes europeias, e suas reações opressivas para este medo provocou em 1848, as revoluções que muito procuravam impedir.

Durante o período entre-guerras do século XX, a britânica Nesta Webster e a socialite americana Edith Starr Miller, popularizaram a conspiração dos Illuminati, mas alegaram que era uma sociedade secreta subversiva que servia as elites judaicas que apoiavam tanto o capitalismo financeiro, quanto o comunismo soviético para dividir e governar o mundo. O evangelista americano Gerald Burton Winrod e outros afirmam que algumas fraternidades colegiadas, clubes de cavalheiros e as Usina de ideias da classe alta americana são organizações de fachada dos Illuminati, que estão conspirando para criar uma Nova Ordem Mundial através de um governo mundial.

Fundação da Nova Ordem Mundial

Com o plano todo feito e arquitetado e agora fortes e com todo o poder em mãos e na mente, os maçons/templários/sionistas participaram da fundação dos EUA em 4 de julho de 1776, a data foi escolhida como vingança pela derrota para Saladino, rei do Egito (Saladin) séculos antes.

EUA

Os EUA foram projetados para ser a base da Ordem. Pouco mais de 10 anos após fundarem os EUA, em 1789-1799, eles se vingaram da coroa francesa e fizeram a Revolução Francesa: com esses dois passos que ocorreram rapidamente ficou estabelecido uma nova burguesia no lugar antes ocupado pela Igreja Católica e começava a nascer o embrião da ordem que tinha o objetivo desde essa época de implantar em todo o mundo a Nova Ordem Mundial.

Com a derrota da Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial, foi criada em Nova York a sede da ONU, um dos instrumentos da Ordem Mundial. Logo em seguida para comprovar seu poder, em 1948 acontece a criação do estado de Israel, chamado em árabe de NAKBA, sendo essa a maior vitória da ordem mundial em todos os tempos, pois o plano judaico sionista maçônico conseguiu um dos seus principais objetivos que fora bloqueado por milênios. Para controlar tudo foram criados dois sistemas idênticos nos mesmos moldes da Revolução Francesa, o que deu origem ao termo direita (Capitalismo) e esquerda (Comunismo), ambos compostos por maçons que concluíram a revolução.

  • Capitalismo: neoliberalismo, direita, conservadores, republicanos, que são dominados pelas famílias mais importantes do mundo.
  • Comunismo: socialismo, esquerda, liberais, democratas, que são dominados pelos judeus sionistas: Moderchai Levy (Karl Marx), Vladimir Ulyanov (Lenin), Levi Broinstein (Leon Trotsky), Stalin, Mikhail Garber(Mikhail Gorbachev) foi Gorbachev que acabou com a URSS que foi uma filial da Ordem Mundial. Antes, a Ordem Mundial fez uma revolução na Rússia em 1917 derrotando a autocracia russa, e depois do Governo Provisório (Duma), resultou no estabelecimento do poder soviético sob o controle do partido bolchevique de forma muito parecida com o que ocorreu na Revolução Francesa.

É dessa forma que instituições como: Comitê dos 300, Conselho das Relações Exteriores (Council Foreign Relations (CFR) a Comissão Trilateral, o Clube de Roma, Clube de Bilderberg, à Fundação Marshall da Alemanha, vem dando as cartas no mundo para implementar a Nova Ordem Mundial.

Os ocultistas ao criar o seu movimento governamental, Símbolo Socialista, usaram o martelo de Thor (jupiter/Mitra) e a foice de Saturno (Kronos), com a cor vermelha de Marte (guerra).

socialismo

No Grande Selo dos Estados Unidos (Great Seal of the United States) é utilizado para autenticar determinados documentos emitidos pelo governo dos Estados Unidos. A expressão é utilizada quer para designar o selo físico (na posse do Secretário de Estado) e, mais genericamente, para designar o símbolo. O Grande Selo foi usado publicamente pela primeira vez em 1782. O Grande Selo contém dez características de treze. A primeira aparição do número treze no Selo está na constelação de estrelas retratado acima da cabeça da águia, do lado inverso. Oficialmente, o número treze representa as treze colônias. O número treze é o número da transformação e renascimento, e possui significados ocultos. Em 1314, de Molay foi condenado a fogueira. Quando exilado da França, os Templários se mudaram à Inglaterra, pelo rei Stephen e estabeleceu o Rito de York da Maçonaria (Rite York), com treze níveis. O número treze é também representante dos membros da Ordem da Jarreteira cuja tradução correta seria Ordem da Liga (em inglês: Order of the Garter), fundada pelo Rei Edward III (Eduardo III) em 1349.

grande-selo-eua

O rei Edward III (Eduardo III) fundou a Ordem da Jarreteira como uma sociedade, uma companhia e uma escola de cavaleiros. Notamos também que no Selo dos Estados Unidos a forma de uma estrela de 6 pontas. Ela é amplamente reconhecida como um dos mais poderosos símbolos ocultos e está associada com o culto de Saturno.

Ordem da Jarreteira

O culto a Saturno nunca terminou e seus rituais ainda estão presentes até nossos dias atuais. Saturno, apelidado de “Senhor dos Anéis”, é a razão pela qual nós trocamos anéis em casamentos ou colocamos auréolas sobre as cabeças de pessoas santas. Os atributos do Deus Saturno e da perpetuação de seu culto através da cultura popular. Antes do Dilúvio, Saturno era considerado por toda a humanidade como o Deus supremo e soberano dos reis. Pesquisadores afirmam que Saturno governou o reino da Atlântida e se tornou o ancestral divino de todos os patriarcas e reis da terra.

Saturno é chamado Cronos, é o “deus” símbolo do Tempo que devora todas as coisas transitórias, como a personagem da teogonia grega, que devorava seus próprios filhos temendo ser superado por um deles. Saturno, que foi destronado por Júpiter (Zeus), representa o espírito estimado a coisas antigas e à melancolia além de experiência. No horóscopo ele está ligado aos signos de Capricórnio e Aquário. Saturno e a Lua, em sua fase minguante, é o astro preferido dos magos negros e suas influências são, em geral, consideradas maléficas do ponto de vista humano.

Saturno é associado aos seguintes seres e objetos do mundo material, sendo que sua cor é o chumbo, negro metálico e seu dia da semana o sábado, o seu metal é o chumbo para fazer seus talismãs, as pedras de Saturno são a pedra-imã e calcedônia. São de Saturno os venenos que entorpecem e atordoam, como a maior parte das solanáceas. As plantas que parecem não produzir frutos; as que produzem raízes, folhas ou galhos negros, como a Figueira Negra, O Pinheiro e o Cipestre; as que têm gosto amargo, com odor forte, como o Aipo Silvestre, consagrado a Plutão. E por fim os animais de Saturno são a poupa, toupeira e sapo; siba.

Coincidência ou não, foi no planeta Saturno em sua lua gigante Titã que o chamado ‘ouro negro’ que é o petróleo foi descoberto de forma ilimitada, sendo que isso não é admitido, já que essa é uma das principais fontes de energia atuais do mundo, usadas para a implementação da Nova Ordem Mundial, sendo que desde a Primeira Guerra Mundial, a ciência em todo o mundo ensina o fato dogmático que o petróleo é um ‘combustível fóssil’, é de conhecimento público que os cientistas da NASA notaram a presença de gás metano abundante de uma natureza não-biológica na lua gigante Titã, do planeta Saturno, uma descoberta que valida a explicação que diz que o petróleo não é um combustível fóssil.

“Determinamos que o metano de Titã não é de origem biológica”, Hasso Niemann, do Centro de Vôo Espacial Goddard, um investigador da NASA responsável pelo equipamento chamado “Gas Chromatograph Mass Spectrometer”, instalado na nave Cassini-Huygens, que pousou em Titã em 14 de janeiro de 2008. Niemann conclui que “o metano precisa ser renovado por processos geológicos em Titã”.

A NASA confirmou que suas sondas científicas descobriram gás metano em abundância em Titã, uma das luas de Saturno. Este fato deveria ser divulgado amplamente. Entretanto, a NASA também teve de confrontar a realidade que, já que Titã não tem uma atmosfera, e como não há evidência alguma que já teve, o metano em abundância precisa ser de origem não-biológica! Esse gás metano abundante em Titã está sendo constantemente renovado! Sendo isto possível, não havendo vida animal ou vegetal em Titã. Chegamos a conclusões óbvias que essa reposição está sendo causada por processos geológicos, o que significa que os primeiros suprimentos de metano em Titã foram produzidos por processos geológicos.

“Argumentamos que o petróleo e o gás natural são produtos abióticos, não combustíveis fósseis criados biologicamente pelos resíduos de dinossauros mortos e antigas florestas’. O metano já foi criado de forma sintética em laboratórios e agora a NASA confirma que o metano abiótico existe de forma abundante na lua Titã.” Co-autor Jerome R. Corsi

Esta descoberta confirma um dos principais argumentos em ‘O Poder do Ouro Negro: O Mito da Escassez e a Política do Petróleo’.

Se os cientistas descartaram que processos biológicos criaram o metano em Titã, não dá pra entender porque os petrogeólogos do planeta Terra ainda argumentam que o gás natural da Terra é de origem biológica. Podemos chegar a conclusão que esses líderes querem obter o controle sobre o mundo, após planejar tudo desde 1776 com a criação dos Illuminati, somente para iludir a todos que restam apenas 100-200 anos de suprimentos. A maior motivação que esteve por trás dos programas espaciais da NASA foi descobrir outro planeta similar à Terra para o qual os Illuminati e suas famílias poderão escapar antes que a Terra fique sem petróleo e outros produtos necessários para a vida, como água potável!

Portanto, no caso dos produtos derivados do petróleo, a premissa que a Terra está ficando sem petróleo não se sustenta mais. Foi por isso, que foram criados vários temores globais, para apavorar o público e as massas para a escassez do petróleo a fim de convencer a humanidade que nossa civilização industrial deve ser desmantelada.

Culto de Saturno

O culto a Saturno foi perpetuado através de numerosos deuses durante a Antiguidade. Na mitologia egípcia, Ísis é considerada a filha mais velha de Saturno.

culto a Saturno

Por isso que as civilizações semitas se referem ao Deus Saturno como “El”. A divindade suprema era representado por um Cubo Preto.

George Washington

Notamos que no Capitólio dos Estados Unidos da América existe a escultura de George Washington, similar a figura de Baphomet. O Congresso dos Estados Unidos contratou Greenough para criar uma estátua para exibição na rotunda do Capitólio dos Estados Unidos. George Washington (1840) é uma escultura enorme esculpida por Horatio Greenough a pedido da comissão do centenário do presidente dos Estados Unidos George Washington que nasceu em 1732. Oficialmente a história diz que Greenough modelou sua figura maciça de 30 toneladas do “Enthroned Washington” sobre a grande estátua de Zeus Olympios que era uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo (destruída na Antigüidade). Washington olha severamente para frente. Ele está sem camisa e seu braço direito e sua mão faz um gesto com o dedo indicador em riste para o céu. A palma de sua mão esquerda e antebraço segura uma espada embainhada, o punho para a frente, simbolizando Washington virar o poder ao povo, na conclusão da Guerra Revolucionária Americana.

Atribui-se ainda a Saturno a criação de divindades como Juno ou Hércules e de heróis como Rómulo. O sábado é o dia consagrado a Saturno. Hebreus antigos representavam Saturno como uma estrela de seis pontas, o que mais tarde se tornou a Estrela de David que também possui outros significados esotéricos. O símbolo ainda é encontrado na bandeira de Israel.

baphomet

Cabra Sabática (que Eliphas Lévi identificou como o Baphomet, ídolo supostamente adorado pelos Cavaleiros Templários) (Baphomet) conhecido como Osiris, o Homem perfeito de Preto, Pan, Satanás, Saturno, Deus negro, Deus da natureza (chifres). Diabo significa homem no físico. O homem criou a partir do sangue dos Titãs (666). Inferno – Heil o que significa a terra. Significa, também, a serpente no Jardim do Éden, a energia Kundalini que está no interior de nós. O inferno é o Chakra Raiz, que é vermelho.

O bode que é representado no nosso frontispício, traz na fronte o signo do pentagrama, com a ponta para cima, o que é suficiente para fazer dele um símbolo de luz; faz com as mãos o sinal do ocultismo, e mostra em cima a lua branca de Chesed e embaixo a lua preta de Geburah. Este sinal exprime o perfeito acordo da misericórdia com a justiça. Um dos seus braços é feminino, o outro é masculino, como no andrógino Khunrath, cujos atributos tivemos de reunir aos do nosso bode, pois que é um único e mesmo símbolo. O facho da inteligência que brilha entre seus chifres é a luz mágica do equilíbrio universal; é também a figura da alma elevada acima da matéria, como a chama está presa ao facho. A cabeça horrenda do animal exprime o horror do pecado de que só o agente material, único responsável, deve para sempre sofrer a pena: porque a alma é impassível por sua própria natureza, e só chega a sofrer, materializando-se. O caduceu, que está em lugar do órgão gerador, representa a vida eterna; o ventre coberto de escamas é a água; o círculo que está em cima é a atmosfera; as penas que vem depois são o emblema do volátil; depois, a humanidade é representada pelos dois seios e os braços andróginos desta esfinge das ciências ocultas.” Mago ocultista francês, Alphonse Louis Constant (1810-1875), conhecido por seu pseudónimo “Eliphas Levi“, em sua obra “Dogma e Ritual da Alta Magia” (Dogmes et Rituels de la Haute Magie)

Em uma edificação da cidade de Charlotte, nos Estados Unidos, edifício  concluído em 1992 com 60 andares vemos algumas coisas interessantes e curiosas em seu hall de entrada.

Ao observar um detalhe da imagem da direita, notamos o Arbusto Ardente, a Mulher no Cubo e a Pirâmide, que fica no looby do Bank of America Corporate Center, um dos arranha-céus mais altos do mundo, com 265 metros (871 ft).

Atrás do menino, há uma árvore em chamas, que é uma referência ao Arbusto Ardente do Antigo Testamento. A sarça/arbusto ardente é de grande importância no ritual maçônico, especialmente para o grau 33, cujos membros são considerados como “juntos da Sarça Ardente”. “No terceiro êxodo é registrado que, enquanto Moisés estava apascentando o rebanho de Jetro, no Monte Horeb”, “o anjo do Senhor lhe apareceu em uma chama de fogo do meio de um arbusto”, e lá comunicou a ele pela primeira vez o seu Nome Inefável. Esta ocorrência é comemorada na Sarça Ardente do Arco Real. Em todos os sistemas da Antiguidade, o fogo é adotado como um símbolo da Divindade; e a Sarça Ardente, ou o arbusto cheio de fogo que não consome, de onde saiu o Tetragrammaton, o símbolo da Divina Luz e Verdade, é considerado nos avançados graus da maçonaria, como o Oriente na parte inferior, como a grande fonte da verdadeira luz maçônica, portanto Conselhos Supremos do trigésimo terceiro grau colocam suas balaústres ou documentos oficiais, perto da “S.A.” ou Sarça Ardente, para que pensem que eles são, em seu próprio rito, a fonte exclusiva de toda a instrução maçônica“. (Albert G. Mackey, Enciclopédia da Franco-Maçonaria)

Para terminar, embora a frente do Grande Selo dos Estados Unidos seja misteriosa o suficiente, o verso é ainda mais incomum. A parte mais enigmática atrás do selo é a combinação de um “olho que tudo vê” (Olho de Hórus) ou “olho da providência” e uma pirâmide. Hórus era o filho de Osíris e Ísis. Uma de suas formas mais comuns é como o deus do sol nascente, símbolo e personificação da luz, sendo que o  objetivo do iluminismo é declarado pela presença do Olho de Hórus. O olho de Hórus fica no topo de uma pirâmide inacabada, com treze níveis. Seus treze níveis possuem um significado duplo. De um lado, eles representam os treze níveis do Rito de York da Maçonaria, e do outro, o Código da Cannabis.

Tanto que os ocultistas colocaram o número 420 como o 4:20 código de referência ao consumo de maconha (cannabis). O significado está relacionado com a data 20 de abril, escolhida para celebrar o Dia da Erva ou Dia da Maconha. Também é comum ver escrito 4/20 ou 420. Em muitos países, o 20 de abril (4/20) é celebrado pelos apreciadores da erva, nitidamente usaram a matemática e os números para identificar esse conceito a nível global.

Podemos notar também que a Cannabis sativa antigamente era usada a sativa para fabricar as cordas, e as cordas servem para prender, o que é atribuição da Polícia, foi deste movimento que surgiu as leis internacionais para coibir a Cannabis sativa, criando a famosa Guerra contra as Drogas e etc, notamos isso claramente no selo dos EUA, fazendo alusão ao Código da Cannabis.

Alquimia

A Alquimia é a transformação de metais em ouro, percebemos também que o dinheiro utilizado até pouco tempo atrás, tinha o seu lastro em ouro, podemos interpretar desta forma, que o aviso da Bíblia Sagrada relatado a seguir, poderia ser uma previsão de que aqueles que não tiverem ouro, não poderão mais comprar nem vender absolutamente nada.

A alquimia pertence a História da Ciência Maçônica. Existiu uma pedra cuja referencia tinha valor alquímico além de metafísico, estando sujeito a pesos e medidas, como acontece com a referida pedra. É documentado os seguintes pesos nas suas diversas memórias: 2666 arráteis, como informa a inscrição latina, e isto corresponde a mais de uma tonelada; 1666, emendados para 2666. Notamos então dois pesos no mesmo texto – 2666 e 1666 -, considerando assim 1666 um número certo, apesar de ter sido corrigido. É de mil a diferença entre 2666 e 1666, parece muito significativa. Porém, o real significado de tudo isso é que nos dois pesos possuem algo comum, o número 666, e este, sim, é o verdadeiro peso da referida pedra na balança da simbologia da alquimia. Por fim, notamos também uma coincidência incrível que o número 666 é citado na Bíblia Sagrada, como o número da besta em Apocalipse 13:18. No livro Apocalipse de São João, Deus aparece julgando e destruindo o mal.

E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na mão direita ou na testa, para que ninguém possa comprar ou vender , senão aqueles que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é número de homem; e seu número é seiscentos e sessenta e seis.” Livro do Apocalipse (Livro de Revelações escrito por João), no capítulo 13.

Quando Deus percebeu a intenção dos construtores de Babel, sua decisão foi confundir-lhes a língua a fim de espalhá-los pela face da terra. Os ocultistas, pretendendo continuar a obra de Babel (unificação em todos os aspectos – político, cultural, econômico, linguístico), usam a matemática para se comunicar e difundir seus projetos. Diante de todas as linguagens que foram confundidas existe a linguagem perfeitamente compreensível, onde qualquer idioma pode entender. Essa linguagem é a matemática. Uma língua universal!

As sociedades secretas se relacionam precisamente com os números e com esta concepção de que os números (ou, pelo menos, alguns números), mais do que meros símbolos de quantidade, refletem essências, qualidades. Parte do estudo dos símbolos a que os ocultistas se dedicam tem como objeto precisamente o estudo do que simbolizam os (ou determinados) números.

Os matemáticos usam a letra grega Fi (vigésima-primeira letra do alfabeto grego) para a designar, no sistema numérico grego vale 500, mas a Secção Áurea pode ser apresentada usando a fórmula (1+V5)/2 ou o número 1,6180339… A sua história começa com cálculos feitos em placas de argila na Babilônia e pode ser seguida até aos fractais da era digital. O homem tentou assim descobrir o “plano divino” em todas as coisas e nesta fascinante busca, na qual Fi representa uma proporção irresistivelmente bela e atraente à qual são atribuídos atributos divinos – fazendo desta forma justiça ao seu nome.

A unidade ou 1 (que significava mais do que um número) era identificada por um ponto, o 2 por uma linha, o três por uma superfície e o quatro por um sólido. A Tetraktys, pela qual os Pitagóricos passaram a jurar, era uma figura do tipo abaixo:

Tetraktys

representando o número triangular 10 e mostrando sua composição como sendo 1 + 2 + 3 + 4 = 10.

A soma dos números de qualquer série numérica composta por números ímpares e que comece por 1 é um número quadrado. E a soma dos números de qualquer série numérica de números pares que comece pelo número 2 é um número oblongo, ou retangular. Por número oblongo, entende-se:

2 x 3 = 6, ou seja, 2 + 4 = 6
3 x 4 = 12, ou seja, 2 + 4 + 6 = 12
4 x 5 = 20, ou seja, 2 + 4 + 6 + 8 = 20

Este é o princípio matemático que levou à 47ª Proposição de Euclides, o matemático grego que divulgou o Teorema de Pitágoras, pelo qual o quadrado da hipotenusa de um triângulo retângulo é igual à soma dos quadrados dos dois outros lados, ou catetos. O Teorema de Pitágoras é considerado uma das principais descobertas da Matemática, ele descreve uma relação existente no triângulo retângulo. O Teorema diz que: “a soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.” a² + b² = c²

“Uma magnitude divisível uma vez é uma linha, duas vezes, uma superfície, e três, um corpo. Além desses, não há outra magnitude, porque as três dimensões são tudo o que existe, e aquilo que é divisível em três direções é divisível em todas. Pois, como dizem os pitagóricos, o mundo e tudo o que nele existe é determinado pelo número 3, já que começo, meio e fim dão o número de um “todo”, e o número que eles dão é 3. Assim, compreendendo esses três princípios da natureza como, por assim dizer, leis, nós usamos o número 3 na adoração dos deuses. Além disso, nós usamos os termos na prática da seguinte maneira. De duas coisas, ou dois homens, dizemos “ambos”, mas não “todos”: três é o primeiro número ao qual o termo “todo(s)” se tornou apropriado. E com isso, como dissemos, estamos apenas seguindo a lei da natureza.” (Aristóteles, Sobre o céu – “De caelo”).

Os pitagóricos consideravam o 3 o primeiro número verdadeiro: A perfeita multiplicidade de formas, portanto, eles indicavam de modo obscuro pela díade; mas os primeiros princípios formais eram indicados pela mônada e díade, como não sendo números; e também pela primeira tríade e tétrade, como sendo os primeiros números, um ímpar e outro par:

  1. Comuns = Áries, Câncer, Libra, Capricórnio (Cardinais)
  2. Fixos = Touro, Leão, Escorpião, Aquário
  3. Móveis = Gêmeos, Virgem, Sagitário, Peixe (Mutáveis)

Desta forma, um, conceito numérico, pode representar qualquer coisa, geometricamente. A Matemática emergiu, como a conhecemos atualmente da Geometria.

  1. Centros (Angulares) = I IV VII X
  2. Seguintes (Sucessivos)= II V VIII XI
  3. Decadentes (Cadentes)= III VI IX XII

No final do século XVI John Dee e seu assistente Edward Kelley criaram a Linguagem enoquiana ou também chamada de língua angélica.

No sistema enochiano os “selos” são compostos de linhas e diagramas que representam as assinaturas de entidades acessíveis as pessoas com conhecimento e familiarizados com as “chamadas Enochianas” e outros métodos de evocação dos “espíritos”.

enochiano

O Alfabeto Romano era o alfabeto usado na Roma Antiga que deu origem ao alfabeto latino. Vejam como funciona o dicionário Angelical Enochiano se comparado ao alfabeto romano.

Alfabeto Romano:       ABCDEFG     HILMNPQ    ORSTUXZ
Alfabeto Enochiano:   BCGDFAE     MIHLPQN    XORZUST

O alfabeto angélico (Enochiano) pode ter sido gerado algoritcamente do alfabeto romano, de alguma forma dependente da tríplice divisão. Como primeira hipótese, vamos supor que cada grupo de sete letras romanas sofre alguma permutação específica, a fim de gerar o grupo equivalente de letras angelicais. Se isto for assim, quando substituímos as letras dos grupos com o Números 1-7 (baseado na ordem convencional – A=1, B=2…G=7; H=1, I=2…Q=7; O=1, R=2…Z=7), a sequência de número deve ser o mesmo para cada um dos três grupos:

                          Grupo 1 (A-G)             Grupo 2 (H-Q)          Grupo 3 (O-Z)
Romano                     1234567                       1234567                       1234567
Enochiano                2374615                       4213675                       6127534

Os autores deste alfabeto queriam encontrar a língua sagrada especial, dedicando-se ao longo de sua vida para encontrar a “Cabala real”. Esses estudos eram comuns na teologia da Renascença. Acreditava-se que se alguém pudesse interagir com anjos, falaria em uma língua divina.

Vejam portanto os significados que estão na base da direita e da esquerda dos obeliscos com a inscrição do número 418 e 666 que está presente no desenho exposto neste artigo da figura emblemática da Cabra Sabática, o Baphomet.

Número 418

O número 418 na figura de Baphomet é bem interessante, faz referencia ao Sistema Enochiano sendo empregado de duas maneiras: invocação de entidades ou projeção aos planos sutis.

Quando levamos em consideração as consecuções místicas, sendo que o número 418 designa um Livro (Liber). Quatrocentos e dezoito (418) é o número da palavra mística Abrahadabra que é símbolo da união do micro com o macrocosmo (a Grande Obra).

ABRAHADABRA = 1+2+2+1+5+1+4+1+2+2+1 = 22. ABRAHADABRA tem 11 letras. ABRAHADABRA = 418. Há mistérios que niguém adivinhará que você não procure tentar, mas um vem após ele, de onde eu não digo, que descobrirá a chave de tudo. Então esta linha traçada é uma chave: então este círculo esquadrado é uma chave também. Abrahadabra também é referido como a palavra de Duplo Poder. Mais especificamente, ela representa a união do Microcosmo com o por do pentagrama e do hexagrama, a rosa e a cruz, o círculo e o quadrado, o 5 e o 6, representado o macrocosmo e etc, também chamado de obtenção do Conhecimento e Conversação de seu Sagrado Anjo Guardião. Abrahadabra é a recompensa de Ra Hoor Khut.

Número 666

666 tem um número de propriedades matemáticas muito interessantes.

Como observado, ele é a soma dos primeiros 36 números naturais. Além disso, é a soma dos quadrados dos 7 primeiros números primos. Os primeiros 144 dígitos do pi a soma 666. Há muitas outras acrobacias que este número pode ser forçado a realizar.

Estela_da_Revelação

666 foi o número exposto e anexado à Estela da Revelação no Museu do Cairo. Sendo também identificado o 666 com o egípcio neteru glifo, que significa “deuses” ou “espíritos”. (O neteru glifo é visível na extremidade esquerda do terceiro registo horizontal no anverso da Estela.) Quando escrito NVThIRV, neteru tem o valor de 666. Finalmente, ANKH-FN-KHONShU-T tem o valor de 666. A frase grega To Mega Therion (“A Grande Besta”) tem o valor de 666, assim como a palavra grega Therion (“Besta”) quando transliterado para o hebraico como ThRIVN. 666 é o valor de Sorath o espírito Solar “Olympic”; e que de Ommo Satanás, o “Tríade Maligna” de Satanás-Typhon, Apophras, e Besz. (“Rito de Sol” e o ritual de Neófito do original Golden Dawn).

Objetivos da Nova Ordem Mundial

Adam Weishaupt, fundador da Ordem dos (Illuminati) iluminados da Baviera, tinha alguns objetivos essenciais, irei resumir os mais importantes.

Weishaupt teria criado esta sociedade secreta com o propósito de derrotar os governos e reinos do mundo e erradicar todas as religiões e crenças para governar as nações sob uma Nova Ordem Mundial, com base em um sistema internacionalista, criar uma moeda única e uma religião universal, onde de acordo com suas crenças, cada pessoa poderia atingir a perfeição.

No entanto, os propósitos finais desta sociedade secreta, eram conhecidos apenas por Weishaupt e seus seguidores mais próximos. Alguns descrevem os objetivos de longo prazo dos Illuminati da seguinte forma:

  • Abolição da monarquia e todos os governos organizados sob o antigo regime.
  • Abolição da propriedade privada dos meios de produção para os indivíduos e sociedades, com a consequente abolição das classes sociais.
  • Abolição dos direitos de herança em qualquer caso.
  • Destruição do conceito de patriotismo e nacionalismo e sua substituição por um governo mundial e de controle internacional.
  • Abolição do conceito da família tradicional e clássica.
  • Proibição de qualquer religião (especialmente a destruição da Igreja Católica Romana), estabelecendo um ateísmo oficial.

Fim dos Governos

Erradicar e abolir as monarquias ou outra forma de governo que não se ajustasse aos seus preceitos.

Para isso, os membros da sociedade secreta illuminati , valendo-se do seu poder econômico, social e político, teriam a missão de originar os conflitos que fossem necessários. Só havia lugar para um governo, o deles.

Fim das propriedades

O objetivo consistia em conseguir que o poder econômico residisse nos membros da irmandade e nas redes que esta gerou.

A propriedade privada e os direitos sucessórios correspondiam, portanto, a um perigo. Os illuminati encarregar-se-iam de ocupar os postos de controle de onde seria manobrado o poder econômico.

Fim do conceito de nação

Era preciso erradicar a multiplicidade de nacionalidades.

Era melhor um grande império, uma grande pátria, do que muitas difíceis de controlar.

Eliminar-se o conceito de patriotismo e de nacionalismo. O objetivo era encontrar uma nova ordem mundial.

Fim da família

Os illuminati não acreditavam no matrimônio, nem no conceito cristão de família, nem nos sistemas educativos.

O objetivo era falar de famílias livres, nas quais o amor ou o desejo de união entre duas pessoas devia prevalecer sobre o vínculo sacramental marcado pela igreja. A educação deveria ficar reservada a sistemas comunitários em que os educadores tivessem sido previamente formados por membros da Ordem Illuminati.

Fim das religiões

As crenças religiosas e espirituais eram consideradas como uma forma de distração, ao mesmo tempo que um perigoso elo com o poder inimigo.

Erradicar as religiões significava conseguir que apenas as ideias da sociedade secreta podiam servir de esperança e consolo na vida.

Plano das Guerras Mundiais para estabelecer a Nova Ordem Mundial

Albert Pike foi Grão-Mestre e 33º grau do Rito Escocês da Maçonaria. Albert Pike (nascido em 29 de dezembro de 1809, Boston — falecido em 02 de Abril de 1891, Washington) foi um advogado, militar e escritor dos Estados Unidos. Albert Pike foi reconhecido como gênio, falava dezesseis idiomas e conseguiu a patente de General-de-Brigada do Exército Confederado na Guerra Civil dos Estados Unidos da América. Albert Pike causou impacto ao publicar a obra Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry (Moral e Dogma do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria, ou simplesmente Moral e Dogma), que tratava dos graus do Rito Escocês. Ele conhecia perfeitamente o sistema ocultista judaico, a Cabala, o sistema fundamental da Nova Ordem Mundial, e exercia forte influência sobre os presidentes maçons dos EUA. A sua ligação ao Ku-Klux-Klan (aparentemente terá sido um dos seus co-fundadores) e o seu racismo (contra os negros), geralmente comum entre os brancos sulistas norte-americanos, assinalam o lado obscuro da sua biografia.

Albert Pike foi o Grande Comandante da Maçonaria norte-americana de 1859-1891. Durante seu mandato, teve uma visão de como a Nova Ordem Mundial poderia ser estabelecida. O plano previa três guerras mundiais. A Primeira e a Segunda Guerra Mundial ocorreram exatamente conforme previsto. O plano prevê que o anticristo surgirá a partir da fumaça, poeira e destruição causada por uma Terceira Guerra Mundial, que será travada entre árabes e israelenses. Essa guerra agora está iminente! Pike teve uma visão e descreveu-a numa carta endereçada a Giuseppe Mazzini, com data de 22 de Janeiro de 1870. Nesta carta estão descritos os traços gerais para a criação de três guerras mundiais que seriam necessárias para trazer a Nova Ordem Mundial.

Assim, Pike recebeu uma visão demoníaca, descrita em seguida. Em 22 de janeiro de 1870, Albert Pike e Giuseppe Mazzini, um de seus co-conspiradores internacionais, publicaram o Plano para estabelecer a Nova Ordem Mundial. Esse plano foi mantido em grande segredo, revelado dentro dos círculos da Maçonaria, desde o tempo de sua concepção, somente aos outros conspiradores Iluministas ocultistas. Essa informação foi obtida em um livro escrito por um ex-luciferiano Iluminista, Doc Marquis. O nome do livro é Secrets of the Illuminati e revela muitos detalhes ocultos que antigamente só eram conhecidos dos Iluministas.

O plano secreto de Pike para controlar o mundo previa a necessidade de três guerras mundiais. Pare aqui por um momento para lembrar a data dessa predição: 22 de janeiro de 1870. Essa data é 44 anos antes do início da Primeira Guerra Mundial e 78 anos antes da criação da nação ou Estado de Israel que se deu em 1948. O plano de Pike de derrubar a Velha Ordem Mundial baseada no Judaísmo e no Cristianismo e estabelecer a satânica Nova Ordem Mundial previa a necessidade de guerra. No entanto, essa guerra não seria o tipo de guerra com o qual o mundo estava habituado a ver. Essa guerra deveria ser em uma escala muito maior do que já registrada na história. Seria uma guerra mundial, global.

Os detalhes desse plano de Pike [de 22 de janeiro de 1870] de Três Guerras Mundiais para estabelecer a Nova Ordem Mundial são como segue: Ao ler essa profecia, lembre-se do conceito ocultista da Tese (Capitalismo ou Cristianismo) batalhando contra a Antítese (Socialismo ou Ocultismo) para produzir um novo sistema chamado Síntese (Comunismo ou Satanismo). A Primeira e a Segunda Guerra Mundial foram travadas para estabelecer a Antítese, e criar a Guerra Fria, aquele “conflito controlado ou ameaça de conflito” que produziria o novo sistema, a Síntese.

Para os ocultistas ou sionistas da Cabala judaica, o número 11 (onze) é um de seus números mais sagrados, e as multiplicações de 11 também são sagradas. Essa é uma das razões porque os maçons reverenciam o número 33, pois é o número sagrado 11 vezes 3, o número da trindade satânica ou “33 33 33 = 666: O Raciocínio Satânico da Nova Ordem Mundial”, tratado nos assuntos da Crença Ocultista.

Primeira Guerra Mundial

Palestina (do original Filistina – “Terra dos Filisteus”) é o nome dado desde a Antiguidade à região do Oriente Próximo (impropriamente chamado de “Oriente Médio”), localizada ao sul do Líbano e a nordeste da Península do Sinai, entre o Mar Mediterrâneo e o vale do Rio Jordão. Trata-se da Canaã bíblica, que os judeus tradicionalistas preferem chamar de Sion.

A Palestina foi conquistada pelos hebreus ou israelitas (mais tarde também conhecidos como judeus) por volta de 1200 a.C., depois que aquele povo se retirou do Egito, onde vivera por alguns séculos.

Mas as sucessivas dominações estrangeiras, começadas com a tomada de Jerusalém (587 a.C.) por Nabucodonosor, rei da Babilônia, deram início a um progressivo processo de diáspora (dispersão) da população judaica, embora sua grande maioria ainda permanecesse na Palestina.

As duas rebeliões dos judeus contra o domínio romano (em 66-70 e 133-135 d.C.) tiveram resultados desastrosos. Ao debelar a primeira revolta, o general (mais tarde imperador) Tito arrasou o Templo de Jerusalém, do qual restou apenas o Muro das Lamentações. E o imperador Adriano, ao sufocar a segunda, intensificou a diáspora e proibiu os judeus de viver em Jerusalém. A partir de então, os israelitas espalharam-se pelo Império Romano; alguns grupos emigraram para a Mesopotâmia e outros pontos do Oriente Médio, fora do poder de Roma.

A partir de então, a Palestina passou a ser habitada por populações helenísticas romanizadas; e, em 395, quando da divisão do Império Romano, tornou-se uma província do Império Romano do Oriente (ou Império Bizantino).

Em 638, a região foi conquistada pelos árabes, no contexto da expansão do islamismo, e passou a fazer parte do mundo árabe, embora sua situação política oscilasse ao sabor das constantes lutas entre governos muçulmanos rivais. Chegou até mesmo a constituir um Estado cristão fundado pelos cruzados (1099-1187). Finalmente, de 1517 a 1918, a Palestina foi incorporada ao imenso Império Otomano (ou Império Turco). Deve-se, a propósito, lembrar que os turcos, e embora muçulmanos, não pertencem à etnia árabe.

Em 1896, o escritor austríaco de origem judaica Theodor Herzl fundou o Movimento Sionista, que pregava a criação de um Estado judeu na antiga pátria dos hebreus.

Esse projeto, aprovado em um congresso israelita reunido em Genebra, teve ampla ressonância junto à comunidade judaica internacional e foi apoiado sobretudo pelo governo britânico (apoio oficializado em 1917, em plena Primeira Guerra Mundial, pela Declaração Balfour).

Uma carta assinada por Arthur James Balfour, em 2 de novembro de 1917, e endereçada ao Barão Rothschild, então importante liderança do movimento sionista britânico, foi considerada o primeiro documento no qual um governo se mostra favorável à criação de um Estado judaico na Palestina. Abaixo, fac-símile da “Declaração Balfour”.

A Declaração de Balfour é uma carta de 2 de novembro de 1917 do então secretário britânico dos Assuntos Estrangeiros, Arthur James Balfour, dirigida ao Barão Rothschild, líder da comunidade judaica do Reino Unido, para ser transmitida à Federação Sionista da Grã-Bretanha. A carta se refere à intenção do governo britânico de facilitar o estabelecimento do Lar Nacional Judeu na Palestina, caso a Inglaterra conseguisse derrotar o Império Otomano, que, até então, dominava aquela região.

A carta foi escrita nos seguintes termos:

“Caro Lord Rothschild,
“Tenho o grande prazer de endereçar a V. Sa., em nome do governo de Sua Majestade, a seguinte declaração de simpatia quanto às aspirações sionistas, declaração submetida ao gabinete e por ele aprovada:
`O governo de Sua Majestade encara favoravelmente o estabelecimento, na Palestina, de um Lar Nacional para o Povo Judeu, e empregará todos os seus esforços no sentido de facilitar a realização desse objetivo, entendendo-se claramente que nada será feito que possa atentar contra os direitos civis e religiosos das coletividades não-judaicas existentes na Palestina, nem contra os direitos e o estatuto político de que gozam os judeus em qualquer outro país.´
“Desde já, declaro-me extremamente grato a V. Sa. pela gentileza de encaminhar esta declaração ao conhecimento da Federação Sionista.
“Arthur James Balfour.”

No início do século XX, já existiam na região pequenas comunidades israelitas, vivendo em meio à população predominantemente árabe. A partir de então, novos núcleos começaram a ser instalados, geralmente mediante compra de terras aos árabes palestinos.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Turquia lutou ao lado da Alemanha e, derrotada, viu-se privada de todas as suas possessões no mundo árabe. A Palestina passou então a ser administrada pela Grã-Bretanha, mediante mandato concedido pela Liga das Nações.

Depois de 1918, a imigração de judeus para a Palestina ganhou impulso, o que começou a gerar inquietação no seio da população árabe. A crescente hostilidade desta última levou os colonos judeus a criar uma organização paramilitar – a Haganah – a princípio voltada para a autodefesa e mais tarde também para operações de ataque contra os árabes.

Apesar do conteúdo da Declaração Balfour, favorável à criação de um Estado judeu, a Grã-Bretanha tentou frear o movimento imigratório para não descontentar os Estados muçulmanos do Oriente Médio, com quem mantinha proveitosas relações econômicas; mas viu-se confrontada pela pressão mundial da coletividade israelita e, dentro da própria Palestina, pela ação de organizações terroristas.

Segunda Guerra Mundial

Após a Segunda Guerra Mundial, o fluxo de imigrantes judeus tornou-se irresistível. Em 1947, a Assembléia Geral da ONU decidiu dividir a Palestina em dois Estados independentes: um judeu e outro palestino. Mas tanto os palestinos como os Estados árabes vizinhos recusaram-se a acatar a partilha proposta pela ONU.

Em 14 de maio de 1948, foi proclamado o Estado de Israel, que se viu imediatamente atacado pelo Egito, Arábia Saudita, Jordânia, Iraque, Síria e Líbano (1ª Guerra Árabe-Israelense). Os árabes foram derrotados e Israel passou a controlar 75% do território palestino. A partir daí, iniciou-se o êxodo dos palestinos para os países vizinhos. Atualmente, esses refugiados somam cerca de 3 milhões.

Os 25% restantes da Palestina, correspondentes à Faixa de Gaza e à Cisjordânia, ficaram sob ocupação respectivamente do Egito e da Jordânia. Note-se que a Cisjordânia incluía a parte oriental de Jerusalém, onde fica a Cidade Velha, de grande importância histórica e religiosa.

Damos a seguir a cronologia dos principais acontecimentos subsequentes

1947 – A ONU aprova a partilha da Palestina em dois Estados – um judeu e outro árabe. Essa resolução é rejeitada pela Liga dos Estados Árabes.

1948 – Os Judeus proclamam o Estado de Israel, provocando a reação dos países árabes. Primeira Guerra Árabe-Israelense. Vitória de Israel sobre o Egito, Jordânia, Iraque, Síria e Líbano e ampliação do território israelense em relação ao que fora estipulado pela ONU. Centenas de milhares de palestinos são expulsos para os países vizinhos. Como territórios palestinos restaram a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, ocupadas respectivamente por tropas egípcias e jordanianas.

A disputa da “Cidade Velha”, dentro de Jerusalém Oriental, conta com locais sagrados de três religiões. Os principais são: o Muro das Lamentações, reverenciado pelos judeus como o único remanescente do grandioso Templo de Jerusalém; a Mesquita da Rocha, erigida sobre um rochedo de onde, segundo a tradição islâmica, a alma de Maomé ascendeu ao Paraíso; por último, a Igreja do Santo Sepulcro, construída sobre o lugar onde Cristo teria sido sepultado e, de acordo com a crença cristã, ressuscitou no terceiro dia.

Terceira Guerra Mundial

A III Guerra Mundial é algo inevitável para a humanidade, veremos como ela está se desenhando para chegar a Nova Ordem Mundial.

Existem diversas cartas escritas entre 1870 e 1871, prevendo as duas guerras mundiais (embora fossem conhecidas após as duas guerras) que seriam mantidas em um arquivo da biblioteca do Museu Britânico entre um antigo militar confederado, Albert Pike (na verdade o único representante da Confederação, enquanto um membro ativo da Ku Klux Klan, homenageado com uma estátua em Washington DC) e o maçom e Carbonari Giuseppe Mazzini, filósofo e político italiano, que procurou unificar os estados italianos e que supostamente tinha sido selecionado pelos Illuminati para dirigir suas operações mundiais em 1834. O Museu Britânico guarda essas cartas sob sigilo absoluto. De acordo com William Guy Carr, uma das cartas é datada de 15 de agosto de 1871 e teria sido escrita por Pike para Mazzini:

“Promoveremos três guerras que envolveram todo o mundo. A Primeira Guerra Mundial deve decorrer de forma a permitir que os Illuminati derrubem o poder dos Czares da Rússia e garantir que esse país se torne um bastião do comunismo ateísta. As divergências causadas pelos agentes Illuminati entre a Alemanha e a Inglaterra serão usados para fomentar esta guerra. No final da guerra, um mundo exausto pela guerra, não irá interferir no processo de construção da “nova” Rússia e no estabelecimento do comunismo, que será usado de forma a destruir outros governos e ainda para enfraquecer as religiões.”

“A Segunda Guerra Mundial deve ser fomentada por forma a tirar vantagem das diferenças entre as facções ultraconservadoras e os sionistas políticos. Esta guerra tem de surgir de forma a que as ditaduras sejam destruídas e o sionismo político se torne forte suficiente para instituir um Estado soberano de Israel na Palestina que era reivindicado desde tempos imemoriais pelas comunidades judaicas. Durante a Segunda Guerra Mundial, o comunismo internacional tem de se tornar forte suficiente de forma a contrabalançar a Cristandade, o qual deverá então ser refreado e contido em cheque, até ao momento em que nós voltaremos a necessitar dele para o derradeiro cataclismo social.”

“A Terceira Guerra Mundial tem de ser fomentada de forma a tirar vantagem das diferenças causadas pelos agentes Illuminati entre os Sionistas políticos e os líderes do mundo Islâmico. Esta guerra tem de ser conduzida de forma a que o Islão (Mundo Árabe Muçulmano) e o Sionismo político (Estado de Israel) se destruam mutuamente. Entretanto as outras nações, mais uma vez divididas nesta matéria serão constrangidas a lutar até ao ponto de completa exaustão física, moral, espiritual e econômica. Nós iremos então libertar os niilistas e os ateus, e então iremos provocar um formidável cataclismo social em que em todo o seu horror mostrará claramente a todas as nações as consequências do ateísmo absoluto, origem de selvajaria e agitação sangrenta.

Então por todo o lado, os cidadãos, obrigados a se defender eles próprios contra as minorias revolucionárias, irão exterminar esses destruidores da civilização, e a multidão, desiludida com o Cristianismo, cujos espíritos ficarão a partir desse momento sem compasso ou direção, ansiosos por um ideal mas sem saber para onde direcionar essa adoração, irão receber a verdadeira luz da manifestação universal da doutrina pura de Lúcifer, trazido finalmente aos olhos do público. Esta manifestação será resultado de um movimento reacionário geral no qual se seguirá a destruição da Cristandade e do ateísmo, ambos conquistados e exterminados ao mesmo tempo.”

O plano de Pike foi tão simples quanto provou ser eficaz. Ele exigiu que o comunismo, o nazismo, o sionismo político e outros movimentos internacionais fossem organizados e usados ​​para fomentar as três guerras globais e três grandes revoluções. A primeira guerra mundial devia ser combatida de modo a permitir que os Illuminati derrubassem os poderes dos Czares na Rússia e transformassem o país na fortaleza do comunismo ateísta. As diferenças provocadas pelo agente dos Illuminati entre os impérios britânico e alemão deveriam ser usadas para fomentar essa guerra. Depois que a guerra terminou, o comunismo deveria ser construído e usado para destruir outros governos e enfraquecer as religiões.

A Segunda Guerra Mundial, foi fomentada usando as diferenças entre fascistas e sionistas políticos. Esta guerra devia ser combatida para que o nazismo fosse destruído e o poder do sionismo político aumentasse para que o Estado soberano de Israel pudesse ser estabelecido na Palestina. Durante a Segunda Guerra Mundial, o comunismo internacional deveria ser construído até igualar a força da Cristandade unida. Neste ponto, deveria ser contido e mantido sob controle até ser necessário para o cataclismo social final. Qualquer pessoa informada pode negar que Roosevelt e Churchill não implementaram essa política?

A Terceira Guerra Mundial deve ser fomentada usando as diferenças que os agentes dos Illuminati agita entre os sionistas políticos e os líderes do mundo muçulmano. A guerra deve ser direcionada de tal maneira que o Islã (o mundo árabe, incluindo o mahometanismo) e o sionismo político (incluindo o Estado de Israel) se destruirão enquanto, ao mesmo tempo, as nações restantes, mais uma vez divididas entre si nesta questão, serão forçados a combater-se em um estado de completa exaustão física, mental, espiritual e econômica. Qualquer pessoa imparcial e que tenha um raciocínio lógico pode observar que a intriga que está acontecendo no Oriente Médio e Extremo Oriente não é projetada para realizar esse propósito diabólico?

George Bush anuncia a Nova Ordem Mundial

Esse discurso foi gravado em 1991:

Nós temos a nossa frente a oportunidade de criar para as gerações futuras a Nova Ordem Mundial. Um mundo, onde há regra, a lei, não a lei da selva irá governar perante todas as nações quando teremos sucesso, e nós TEREMOS SUCESSO. Nós temos uma chance real, com essa Nova Ordem Mundial. Uma Ordem onde as nações que tem crédito, podem usar as regras para a paz e preencher assim as promessas e visões dos fundadores da América.” George Bush – ex-presidente dos Estados unidos

A Nova Ordem Mundial é sustentada pela pobreza humana e a destruição do ambiente.

Dá origem ao apartheid social, promove o racismo e os conflitos étnicos, mina os direitos das mulheres e, frequentemente, precipita os países para confrontos destrutivos entre nacionalidades.

Tudo o que você vê acontecer, nos noticiários, na economia do seu país, todas as mudanças negativas, pode ter a certeza que é um avanço para a Nova Ordem mundial. Os governantes irão sempre prometer maravilhas, mas ignore, todos eles são traidores e estão juntos para implementar a Nova Ordem Mundial.

Como será a Nova Ordem Mundial

A Nova Ordem Mundial será uma ditadura totalitária disfarçada de democracia, mas sem alguns dos seus principais parâmetros. Não teremos liberdade de expressão, presunção de inocência, igualdade de direitos perante a lei e outros direitos naturais. Continuarão existindo partidos, cargos e um sistema eleitoral, mas só serão permitidos candidatos que estejam dentro de um espectro político bem estreito, e mesmo seus extremos devem continuar dentro da margem de segurança. Essa farsa já está em funcionamento em muitos países, inclusive no Brasil.

As liberdades individuais serão extintas, e os interesses da coletividade estarão sempre acima dos direitos individuais. O poder do governo será total e todas as atitudes humanas serão controladas. Os valores serão invertidos, as virtudes serão perseguidas e os pecados exaltados. A promiscuidade será regra, como previu Aldous Huxley em Admirável mundo novo.

Família e laços de amizade incondicional serão proibidos ou vistos como atrasados, “não solidários” ou até mesmo como atos perniciosos. A educação infantil será em tempo integral para permitir melhor condicionamento. Passarão o dia todo na escola e sua convivência com familiares se dará apenas nos finais de semana sem atividades escolares programadas. As pessoas serão cooptadas pelo sistema desde a infância, da mesma forma e com os mesmos interesses que os porcos raptaram os filhotes da cadela em A Revolução dos Bichos.

Vigilância e controle estão na essência da Nova Ordem Mundial. Os indivíduos serão vigiados no trabalho, nas ruas e em casa. Sob algum pretexto de segurança, serão obrigatórias câmeras nas residências, como no livro 1984 de George Orwell. Todos os objetos, pessoas e documentos serão rastreáveis. Os chips indicarão tratamentos médicos obrigatórios. Todos serão obrigados a exames freqüentes para prevenir “doenças” ou possíveis comportamentos inconvenientes ou “perigosos”.

O sistema financeiro internacional controlará a vida do indivíduo na medida em que o dinheiro físico não mais existirá e o lastro não será nem mesmo lembrado. O dinheiro eletrônico vai permitir o poder econômico absoluto em pouco tempo, ou seja, ao produzir dinheiro do nada, os bancos internacionais tendem a controlar todas as propriedades e recursos do planeta em não mais do que algumas décadas após o fim do dinheiro em espécie.

O chip de identificação (RFID), que já é uma realidade, será obrigatório. Seu substituto natural será menos invasivo e talvez apenas uma marca na pele seja suficiente. Próteses e implantes não serão mais acessórios indesejados e passarão a ser objeto do desejo e sinal de status. Como no livro Neuromancer, de Willian Gibson, implantes serão utilizados para amplificar a capacidade e a potência dos sentidos e dos órgãos. Não será incomum pessoas amputarem seus membros para substituí-los por próteses sofisticadas. O transumanismo fará parte do dia-a-dia, assim como as misturas genéticas entre humanos e animais. Implantes de órgãos sensoriais interligados com sistemas de informação poderão gravar e transmitir todas as informações vividas e os aparatos de controle estarão dentro do indivíduo.

Rebeldes serão caçados por redes integradas de câmeras e sensores, ou deletados do sistema e desta forma não poderão comprar, viajar nem entrar em qualquer edifício. Qualquer resistência enfrentará o mais sofisticado sistema de repressão já conhecido, com poder e tecnologia inimagináveis.

Todas as formas de comunicação serão efêmeras. Os registros da História serão todos feitos em suporte digital, o que permitirá recontar fatos históricos de acordo com a circunstância e o interesse do governo. No início, apenas a religiosidade vazia será permitida. Mais tarde toda e qualquer forma de manifestação religiosa será desmotivada, reprimida e punida.

O ateísmo será a religião oficial, mas o objetivo dos planejadores da Nova Ordem Mundial é o satanismo, que eles costumam chamar de luciferianismo. Estes são os desdobramentos que vejo para a situação atual. Minha previsão é realmente negra. Acredito que se não acontecer uma interferência divina, teremos um futuro macabro. Mas como a História é dinâmica, muita coisa pode mudar, algumas podem atrasar, outras podem acelerar. Nada mais posso dizer sobre o futuro.

Quando a pessoa descobre alguma verdade diferente do que a maioria está acostumada a acreditar já sentiu na pele a mágoa da descrença, principalmente quando se trata de um familiar ou amigo. Depois do deboche dos ignorantes, o mais ferrenho dos problemas de quem tenta “acordar” os seus entes queridos é a descrença. Mesmo diante de pessoas de estreita confiança, muitos tendem a evitar o desconforto do desconhecido e preferem permanecer na mentira.

Como a mentira impera em nossos dias, a reação mais natural à Verdade é a descrença. Todo aquele que buscar a verdade deve estar ciente de que esta reação será a mais freqüente. Também é bom saber que todos que decidem seguir por este caminho enfrentam o isolamento e inúmeras tentativas de ridicularização. Nada mais natural, já que quanto maior for a ignorância do interlocutor, mais bizarra lhe parecerão as explicações de quem estudou o assunto.

Este site foi criado por Luís Eduardo Alló (fundador e editor), bacharel em Direito, mineiro de Muriaé – MG e que adora trabalhar na web.

Próximo

Anterior

Estratégia das Tesouras Estratégia das Tesouras
Brasil - Ditadura Maçônica Comunista Brasil - Ditadura Maçônica Comunista
O homem foi realmente a lua? O homem foi realmente a lua?
Jogo dos Illuminati: A Nova Ordem Mundial - INWO Jogo dos Illuminati: A Nova Ordem Mundial - INWO
Como o Brasil está perante a Nova Ordem Mundial Como o Brasil está perante a Nova Ordem Mundial
A fábrica de zumbis A fábrica de zumbis
Intrometendo - O único local onde se encontra a verdade Intrometendo - O único local onde se encontra a verdade
Nova Ordem Mundial – New World Order (NWO) Nova Ordem Mundial – New World Order (NWO)

© 2009-2017 Intrometendo | Anuncie | Sobre | Política de Privacidade

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Alló Digital