Intrometendo

Aqui você se intromete em tudo…

ONGs a serviço da Nova Ordem Mundial

Todo mundo sabe, que a disputa entre os países pelo poder global é algo que vem a cada ano aumentando em nossa história, muitos já tentaram comandar o mundo, utilizando de diversos artifícios . A bola da vez são as ONGs ligadas a serviços secretos estrangeiros de inteligência tornaram-se grave ameaça à segurança e à soberania de estados multipolares, e podem ser responsabilizadas diretamente pela montagem e operação das estruturas que levam às ‘revoluções coloridas’ e lhes garantem manutenção e logística nas operações para ‘mudança de regime’.

Como as ONGS trabalham para a NOVA ORDEM MUNDIAL

Depois da primeira onda (logo depois da autodissolução da União Soviética) e da segunda onda (‘Primavera Árabe’) das chamadas ‘Revoluções Coloridas’, os estados-alvos finalmente acordaram para o jogo do Ocidente e, agora, já trabalham ativamente para defender-se de modo criativo e inovador contra essa grave agressão premeditada contra sua estabilidade interna.

ONGs a serviço da Nova Ordem Mundial

A Rússia sempre esteve na vanguarda desse movimento e ordenou que essas chamadas ‘organização não governamentais’ mantidas na Rússia com fundos recebidos de fora do país se registrassem ante as autoridades russas como “agentes de interesses estrangeiros”.

A mesma lei recentemente aprovada na Rússia também dá aos procuradores de Justiça o direito de ordenar o fechamento de ONGs indesejáveis, o que é mais um passo na direção certa para fortalecer a soberania do estado democrático de direito.

Com o objetivo de completar o processo de defender o estado contra a mais recente arma assimétrica que os EUA têm usado para promover ‘mudança de regime’, e para varrer as forças hostis ainda ativas contra o voto dos cidadãos, é hora de a Rússia e seus aliados multipolares iniciarem campanha para estimular militantes e ex-militantes daquelas ONGs de desdemocratização a procurar autoridades e denunciar as reais atividades ilegais daquelas organizações.

As ONGs operam na linha de frente dos golpes para mudança de regime, e praticamente sempre se ‘internam’ e ‘integram-se’ no próprio tecido social dos estados-alvos, muito antes que recebam as primeiras instruções diretas para dar início à tentativa de golpe de Estado. Muito frequentemente, as ONGs não operam explicitamente para forçar atividade antigoverno.

O mais comum é que escolham nomes que se associam, como marca [orig. brand], mais ao serviço social [sempre ostensivamente apresentado como ‘sem política’ (NTs)], que à agitação diretamente política golpista. É o que se observa também nas atividades que promovem, que visam sempre a manifestar posições ‘neutras’ – como oferecer comida a desempregados [desde que não haja ‘contaminação’ entre o que a ONG faz e o que os sindicatos fazem (NTs)]; ou dar pseudo-abrigo a sem-tetos [desde que os sem-tetos ajudados não estejam organizados para promover ocupações (NTs)]; ou divulgar dados pseudo-estatísticos sobre ‘kurrupção’ (nunca a corrupção dos mantenedores daquelas ONGs, sempre só dos seus inimigos políticos).

A Revolução Colorida Reversa pode ser definida como campanha ‘de dentro para fora’, pela qual elementos internos, mas manobrados pelo lado de fora, operam contra a estrutura interna prefixada, até fazê-la colapsar. Com isso em mente, incentivar ongueiros a falar sobre o que só eles sabem sobre ações ilegais ou antidemocráticas dessas organizações das quais participam ou tenham participado, joga os próprios golpistas uns contra os outros, e todos contra a administração central da ONG: esse, precisamente, é o modus operandi de uma ‘revolução colorida’. No Brasil será impossível essa campanha ou, no mínimo, muito difícil de montar e executar, porque no Brasil não existem veículos de informação social de democratização. Os veículos de informação de massa (redes de jornais, televisão e internet) operam no Brasil exatamente como operam as ONGs pró golpe.

Próximo

Anterior

Deixe seu comentário

© 2009-2017 Intrometendo | Anuncie | Sobre | Política de Privacidade

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Alló Digital