Intrometendo

Aqui você se intromete em tudo…

Cortina de fumaça para esconder o roubo capitalista na América Latina

A TV e o entretenimento agem juntamente com a corrupção, trabalham para o novo projeto (transnacional e local) de depredação capitalista da Argentina. E a sua ferramenta de desinformação e descerebramento maciço é a manipulação informativa e a mentira imposta como a verdade de “mudança social”.

São os inventores midiáticos do atual presidente Mauricio Macri, que representam o poder econômico das classes altas, e ao lobby empresarial da embaixada Norte-Americana que juntamente com Mauricio Macri e a sua política racista contra os trabalhadores e os setores sociais mais desprotegidos da Argentina. E esta desinformação é chefiada pelo grupo Clarín (sócio do banco “Goldman Sachs”, líder do roubo financeiro a nível global).

Este grupo midiático (o mais genuíno representante dos grupos do poder econômico concentrado) age como a locomotiva “INFORMATIVA” que arrasta ao resto dos meios manipuladores do sistema, com os seus jornalistas e convidados fantoches a serviço do Império. Que tapam diariamente o roubo capitalista na Argentina com debates manipulados sobre a “corrupção” do governo anterior.

E esses grupos midiáticos mercenários somam-se aos juízes e procuradores argentinos que executam diariamente a perseguição judicial contra a ex presidente Cristina e o ex-Governo kirchnerista.

Depois de se vender a Mauricio Macri durante a campanha eleitoral, estes grupos midiáticos (com seus jornalistas e comentadores) foram encarregados de blindar toda a informação sobre o ajuste, a subida dos preços, a desvalorização do salário e o aumento de tarifas que já mergulhou a Argentina em uma feroz e profunda crise social e econômica.

E a sua política editorial (pró norte-americana) é coincidente: Atacam Cristina e procuram o seu encarceramento, promovem a divisão do peronismo sindical e político, atacam e desacreditam às políticas da Rússia, China e Irã, elogiam e promovem o golpismo na Venezuela, aqui no Brasil e no Equador, e desqualificam como “violentos e antidemocráticos” às organizações sociais e grupos de esquerda que resistem ao roubo e aos despedimentos nas ruas.

Durante quatro meses, estes meios reacionários e racistas torciam e escondiam a realidade social da crise, inundando suas capas e títulos das “Notícias” e debates sobre a corrupção kirchnerista. A realidade que a derrota e a manipulação, não mudou a dinâmica da crise social nas ruas, combinada com a oposição política e sindical, eles foram obrigados a mostrar (contra sua vontade) parte da verdadeira realidade em suas manchetes e capas.

A volta de Cristina Kirchner como líder política, a manifestação sindical contra os despedimentos à política de Mauricio Macri, e a reunificação do peronismo opositor no congresso, e o agravamento da crise com o último aumento de combustíveis, foi o abridor de mentes e se descobriu a mentira midiática que estava sendo usada como uma cortina de fumaça, para esconder a real situação da Argentina.

E os manipuladores midiáticos, já não podem continuar a tapar o roubo capitalista na Argentina. E o processo do fim do Governo de Mauricio Macri acabou de começar. E se acelera.

Próximo

Anterior

Deixe seu comentário

© 2009-2017 Intrometendo | Anuncie | Sobre | Política de Privacidade

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Alló Digital